Arquivo da tag: Papa Don’t Preach

DVD Madonna – True Blue

DVD MADONNA - TRUE BLUEDVD especial do album “True Blue”, de Madonna, trazendo os clips da era, comerciais, performances ao vivo e o especial “MTV One Year On Madonna.”

Track-listing:

Videos

True Blue
True Blue (Make My Video Winner)
Live To Tell
Papa Don’t Preach
Open Your Heart
La Isla Bonita
Where’s The Party (Night Tracks Oficial)
Spotlight
Who’s That Girl
Causing A Commotion
The Look Of Love

Live

Open Your Heart (Live Miami)
Love Makes The World Go Round (Live Aid)
Causing A Commotion (Live Miami)
Papa Don’t Preach (Ciao Italia)
Who’s That Girl Tour (Turin Ensaios)

Comerciais

Mitsubishi Adverts:
True Blue
True Blue (2)
La Isla Bonita
Causing A Commotion
Spotlight
Spotlight (2)

Extras

“You Can Dance” Trailer
Madonna’s Kid Choice Award
MTV One Year On Madonna

Clique na imagem para ampliá-la

dvd madonna true blue

DOWNLOAD: Madonna “It´s That Girl” álbum promo

madonna - it's that girl promo CD

‘It’s That Girl’ é uma compilação com alguns clipes de Madonna dos álbuns Madonna, Like a Virgin, True Blue e Who’s That Girl, em versões remixes, estendidas ou edits.

Foi lançada em 1987 no Reino Unido para promover a “Who’s That Girl Tour”. Aqui está o VHS remasterizado em áudio, com as seguintes faixas:

– Holiday
– Lucky Star (Edit)
– Like A Virgin
– Material Girl
– Into the Groove
– Angel
– Dress You Up
– Borderline” (Edit)
– Live to Tell” (Edit)
– Papa Don’t Preach
– True Blue” (Remix)
– Open Your Heart” (Remix)
– La Isla Bonita” (Remix)
– Who’s That Girl

DOWNLOAD AQUI (senha: themadonnacn)

Madonna entrega uma alta dosagem de MDNA na Key Arena em Seattle

Por Gregory Franklin, para o Seattle Weakly

Madonna

Descrever a atual turnê de Madonna em um amontoado de palavras é mais ou menos como ser solicitado para descrever a história da sua vida em detalhes para um estranho. Existem tantos momentos de minúcias e detalhes maravilhosos que acabarão tendo que ser explicados em uma recapitulação posterior que a tentativa é, desde o início, inútil. O set de 135 minutos de Madonna foi uma aula master em “Arte da Apresentação Profissional”, e não houve um segundo sequer dele onde não nos sentíssemos envolvidos por inteiro, direcionando nossa atenção aos tais detalhes meticulosos, me parece trágico dar um parecer geral dos mesmos. Com isto em mente, aqui vou eu, tentar explicar o que vi nesses 135 minutos que passei na Key Arena na última terça-feira (2 de outubro) a noite.

Madonna sempre foi uma agregadora intensa de cultura pop. Algumas a chamariam de criadora de tendências ou de pioneira; outros diriam que ela usa a cultura como um figurino. Independente de qual lado da cerca você se encontre, é impossível negar sua imensa influência, e ver tudo isso em uma experiência concentrada e ininterrupta foi intensamente inspirador e simultaneamente chocante. Jogue tudo que você sabe/sente sobre religiões, espiritualidade, sexualidade, política, moda, amor, medo e a condição humana em geral dentro de um liquidificador, junto com um iPod bem estocado e você terá uma boa ideia da história caótica que Madonna está tentando contar em sua MDNA tour.

Isso não quer dizer que o caos não é bem-vindo ou não é planejado. Chegar perto de uma arena de shows é muito parecido a ir às festividades do 4 de julho; se tudo for feito de maneira correta, será algo alto, brilhante e você se encontrará processando tudo aquilo por um bom tempo. Você está ali para o espetáculo, para o bombástico, pela oportunidade de ver algo maior que a vida, e tudo que diz respeito a MDNA tour tem a obstinação de preencher todo o seu periférico até o ponto de ter seu processador sobrecarregado, derretido.

O show já começou de maneira suficientemente bela, com monges moicanos entoando uma melodia assombrosa (enquanto gárgulas aladas tomam suas posições em cubos de LED que sobem e descem do gigantesco palco) e um turibulo fumegante gigante balança, espalhando incenso pela multidão. Estamos sendo abençoados ou perdoados? Telas de vídeo aparecem ao fundo, mostrando uma enorme cruz adornada com o MDNA e o fundo de uma catedral antiga, cuja natureza sombria, rica e pontiagudaparece ter saído de alguma peça de Alexander McQueen. Por trás das telas, as luzes são posicionadas de forma a parecer que raios de sol vazam por entre as frestas. Madonna entra na arena, rezando, antes que os vidros jateados das telas ao seu redor se quebrem de maneira alta e dramática, espalhando-se pelo chão e oficialmente dando início ao espetáculo. Nunca querendo se esquivar de suas controvérsas, Madonna pula da sala de oração vestida com uma burca e segurando uma metralhadora. A sutileza tira folga quando Madonna está na cidade.

Apesar do repertório ter sido moldado para o material mais recente, o álbum MDNA, mais do que alguns fãs gostariam, foi difícil pelo menos se preocupar em ouvir as músicas favoritas quando cada segundo deste mesmo repertório foi visualmente impactante. Em “Revolver”, Madonna nos lembrou de seu contínuo gosto por chocar. Aparecendo no cenário de um motel sujo em “Gang Bang”, vários intrusos (dançarinos arrepiantemente coreografados) se arrastam para seu quarto para encontrarem a morte horrenda pela pistola de Madonna e ela rindo satisfatoriamente enquanto as gigantes telas de LED que preenchem o fundo do palco são preenchidas com um vermelho sangue vivo. Uma dica bastante saudável das menções a cerca de Quentin Tarantino, assim como um lembrete que esta não seria uma viagem rápida pela Candy Land.

Dito isso, vale dizer que Madonna não foi destrutiva o tempo todo. Em “Express Yourself”, Madonna estava estonteantemente doce. Entrando com sua tropa e com algumas projeções fantásticas inspiradas na arte gráfica pop de Roy Lichtenstein, que ficam pipocando e girando o tempo todo, Madonna parecia que estava entregando o bastão para qualquer atual ou futura cantora pop para ao menos TENTAR ser ela. Uma banda de desfile entra no meio da música, com um exército de bateristas suspensos por fios por cima do placo, flutuando por sobre a multidão, tocando como se fosse uma coisa absolutamente normal estar a 100 pés do chão. Não é grande coisa, certo? Tudo isso para ser sutilmente danado, pois Madonna coloca “Born this Way” de Lady Gaga no meio de “Express Yourself” (elas são basicamente a mesma canção) no que pareceu algo como um cumprimento amigável para Gaga, até que ela termina a canção com um desafiante “She´s Not Me” (ela não sou eu – faixa do álbum anterior, “Hard Candy”, de 2008)

A narrativa do show foi solta e dispersa, com Madonna ascendendo do inferno ao céu, passando por uma chuva de cápsulas de projéteis, indo de canções antigas (“Open your Heart” com o trio Basco Kalakan nos vocais na percussão e mostrando seu próprio filho de 12 anos Rocco Ritchie como dançarino) da lenta e tocante canção de amor “Masterpiece”, antes de se jogar ao desfile art-deco de “Vogue” e à orgia andrógena e contorcionista de “Candy Shop”.

Até mesmo os clássicos de Madonna foram refeitos, com “Like a Virgin” se tornando uma esparça e lenta peça acompanhada pelo piano, virando a música de uma celebração ao relacionamento para uma desesperada e piedosa balada sobre uma indestrutível co-dependência. Junto com algum dos momentos mais sombrios, os segmentos criativos dos dançarinos (obviamente de certa forma inspirados pelos Jabbawockeez ) foram mais do mesmo, mas mais focados em elementos de auto piedade; “Erotica” teve uma trupe de aterrorizantes palhaços em volta do filme noir da cobertura de Madonna, e os gráficos pop de “Nobody Knows Me” remeteram às armadilhas da fama, como também fizeram um tocante tributo à crianças que (presumidamente) morreram devido a atos de bullying.

A sequencia de “I´m a Sinner” e “Like a Prayer” mostraram a Madonna clássica no seu melhor, mandando lembranças ao misticismo ocidental dos Beatles enquanto abraça a vida selvagem e convidando depois um coral de 35 membros para o palco para uma grande e celestial apresentação. Foi hilário (se não um pouco já esperado) continuar seu papel, mostrando sua atuação 2012, estando confortável em sua própria pele, versus a sua luta nos anos 80 com sua culpa católica. Ao invés de uma ascensão literal ao céu, Madonna ascende para um clube de dança inspirado em Tron para “Celebration”, trazendo uma tropa de dançarinos inspirados em DJs e transformando a Key Arena em uma pulsante nave espacial pronta para entrar em órbita. Espero que eles tenham caixas eletrônicos no espaço, porque algo me diz que viajar com Madonna não vai ser nada barato.

NOTA: Se suas interações gentis com a audiência servem de indicação, seus tempos de sotaque britânico falso parecem ter chegado ao fim. Ela também cantou (ao vivo) a maior parte do show. Ela se desculpou por sua garganta arranhada (culpando Vancouver e sua imensa nuvem de fumaça de maconha na noite anterior) e fez um trabalho admirável sendo uma líder de gang e cantora. Claro, houve alguma nota falha aqui ou ali, mas eu me sinto melhor sabendo que uma pessoa (e não uma faixa pre-gravada) está manejando o microfone nos shows de Madonna.

NOTA 2: Por mais que eu queira fazer piadas a respeito dos braços de Madonna (os famosos “scaryarms” em inglês – Nota do Tradutor) e não as tenho. A mulher estava absolutamente incrível.

Setlist do show:
Gregorian Chant Intro
Girl Gone Wild
Revolver
Papa Don’t Preach
Hung Up
I Don’t Give A
Heartbeat (Interlude)
Express Yourself/Born This Way
Give Me All Your Luvin’
Turn Up The Radio
Open Your Heart/Saggara Jo (Kalakan)
Masterpiece
Justify My Love (Interlude)
Vogue
Candy Shop/Erotica
Human Nature
Like A Virgin
Love Spent
Nobody Knows Me (Interlude)
I’m Addicted
I’m A Sinner
Like A Prayer
Celebration

Tradução: Gustavo Espeschit, em 03/10/12

Vídeo

Fotos (clique nas imagens para ampliá-las)

MADONNA MDNA WORLD TOUR 2012: como será o show !

Madonna MDNA World Tour 2012 - Ensaio

O site Madonnarama trouxe novos detalhes de como é o Madonna MDNA World Tour, que começa no próximo dia 31, quinta-feira, em Tel Aviv, Israel. Pelos ensaios, o show seguirá da seguinte forma:

Bloco Transgression

Abertura – Abre com sinos tocando, seguido de cânticos religiosos por Kalakan. Um som muito assustador com um pano de fundo apresentando um turíbulo com uma luz nela.

Girl Gone Wild – Começa com repetições de “Oh my God” e cantos Kalakan, em seguida, vai para o “Act of Constrition”, quebra de vidro e a aparição de Madonna. ‘Girl Gone Wild’ será em uma versão similar à versão do álbum, mas agora tem uma nova peça incrível instrumental com chicote de sons, samples de ”Material Girl” letra e “Give It To Me”.

Revolver – Começa com um tiro e semelhante à versão do álbum com um pano de fundo que apresenta Lil Wayne no telão (backdrop).

Gang Bang – Este é a performance que tem a aparência de quarto de motel. Começa com sirenes de polícia e no backdrop imagens de são respingos de sangue. Os vocais são ao vivo, partes faladas e instrumentos ao vivo, especialmente a solo de guitarra de Monte Pittman.

Papa Don’t Preach – Uma versão curta, editada e ao vivo com um som de um órgão mais proeminente.

Hung Up – Totalmente reformulada para a turnê. O sample do grupo Abba só é ouvido durante uma parte muito pequena e vocoder na música inteira (aquele recurso de distorcer a voz). Também apresenta repetições de “Oh my God” e algumas letras do “Act of Constrition”.

I Don’t Give AMadonna na guitarra. A introdução é cantada por Kalakan e Nicki Minaj de peruca loira no vídeo backdrop.

Best Friend (interlude) – Misturada com samples de “Heartbeat” do álbum Hard Candy. O pano de fundo é muito escura, imagens de cemitério, caixões e termina com uma lápide com um M grande escrito nele.

Reportagem da emissora de Israel mostrando o ensaio final

 

Bloco Prophecy

Express Yourself – O cenário está muito feliz, colorido e apresenta imagens antiquadas de histórias em quadrinhos inspirados por J. Howard Miller. Em um ponto, quando Madonna canta “What happens when you’re not in bed” (O que acontece quando você não está na cama), o backdrop mostra imagens de desenhos animados de dois homens se beijando. A grande surpresa fica por conta do aparecimento de “Born This Way” de Lady Gaga e depois Madonna termina a música com um trecho de “She´s Not Me”.

Give Me All Your Luvin’ – O “remix Just Blaze” está sendo usado, que agora inclui mais vocais de Madonna. Os dançarinos se tornaram parte de uma Bateria e estão suspensos no ar.

Turn Up The Radio – Começa com uma versão alterada da introdução Music Inferno (The Confessions Tour). Inclui partes de “Holiday”, “Into the Groove”, “Lucky Star”, “4 Minutes” e muito mais. Em seguida, a musica assume o remix de “Leo Zero Remix”, antes da versão do álbum começar e novamente Madonna na guitarra.

Open Your Heart / Sagarra Jo – Madonna apresenta o trio Kalakan, explicando como eles se conheceram (durante uma viagem no País Basco) e por que eles estão se juntando a ela em sua turnê. A canção não é nada como a versão original e soa incrível com o vídeo backdrop mostrando imagens inspiradas no País Basco. Após o termino, todos eles cantam Sagarra Jo.

Masterpiece – Madonna soa bem e é acompanhado pelo Kalakan, sendo uma performance muito íntima e comovente.

Justify My Love (interlude) – A frase “Dita Is Back” (Dita está de volta) aparece no telão. Madonna é perseguida por bailarinos de máscaras. Ele tem a mesma sensação que o comercial de “Truth or Dare by Madonna” propõem (muito sexy!). O vídeo é uma metáfora para todos que tentam tirar vantagens de Madonna, julgá-la ou explorar sua vida privada. Madonna escolhe se trancar num quarto para fugir de tudo e de entrar em um mundo de suas próprias fantasias. Tudo isso em um cenário muito sexy!

 


Bloco Masculine / Feminine

Vogue – Madonna veste uma camisa branca, gravata preta, calça preta, luvas pretas longas, um espartilho e um sutiã de cone reinventado, todos concebidos pelo incrível estilista e amigo pessoal Jean Paul Gaultier. A mesma versão que foi usada no show do Super Bowl, mas desta vez a canção completa é executada e cantada ao vivo. O cenário também é semelhante ao do Super Bowl, incluindo a fonte da revista VOGUE, fotos das estrelas de Hollywood (Marlene Dietrich, Grace Kelly..).

Candy Shop / Erotica – Madonna tira o sutiã e espartilho de cone que ela usava na performance anterior. Uma coreografia muito sensual é realizada em casais, onde Madonna dança com Brahim Zaibat. Esta versão de “Candy Shop” inclui uma pequena interlude de “Erotica”, usando a letra da canção de 1992. Enquanto ela canta “Erotic Erotic put your hands all over my Body” seu namorado e bailarino está com ela.

Human Nature – Próxima da versão do álbum, Madonna vai para uma caixa de cantar “I’m not sorry”, enquanto os dançarinos estão tocando-a e colocando suas mãos por todo o corpo de uma forma muito sensual, porém sem um cunho sexual.

Like a Virgin – A canção foi reformulada. Madonna em um sutiã, parece vulnerável, canta um dos seus maiores sucessos, lentamente, em uma das pista mais emocionante da trilha sonora do seu filme W.E.. Alguns adoram, outros não. No final, Madonna se senta ao lado de seu pianista e desaparece debaixo do palco.

Nobody Knows Me (interlude) – A tela de vídeo apresenta Madonna da cintura para cima. Seu cabelo é na altura dos ombros, cacheados e penteados para trás ligeiramente. Ela também usa longas luvas de couro pretas, um sutiã preto e tiras de couro. Eles passaram por uma suave maquiagem para acentuar os efeitos especiais de todo o vídeo. Durante a primeira parte de “I’ve had so many lives, since I was a child” (Eu tive tantas vidas, desde que eu era uma criança), pedaços de imagens mais antigas de Madonna são colados no vídeo real. A única maneira apropriada para descrevê-lo, é uma espécie de colagem. Como se alguém tivesse cortado diferentes imagens de revistas para recriar uma nova. O final da primeira parte “How many times I’ve died” (Quantas vezes eu morri) lida com a forma como a imprensa tenha tentado enterrar a carreira de Madonna. Usando o mesmo técnica de “colagem”, Madonna representa pessoas diferentes que têm desempenhado um papel importante, positivo ou negativo, na nossa história: Trayvon Martin, Marine Le Pen, Sarah Palin, o Papa, Hitler e muito mais. Os vídeos backdrops da esquerda e da direita mostram imagens e vídeos de da carreira de Madonna. No meio de imagens de adolescentes diferentes que se suicidaram por conta do bullying são mostrados durante alguns segundos, juntamente com uma mensagem de RIP (descanse em paz) e o nome da vítima. Um desses nomes é Brandon Bitner. O último segmento do cenário apresenta imagens positivas de pessoas se beijando: corridas diferentes, casais heterossexuais e casais homossexuais, casais ainda mais velhos e pais com seus filhos.

 

Bloco Redemption

I’m a Addicted – Soa muito com a versão do álbum com alguns sons adicionados para dar-lhe um impacto maior ao vivo. Madonna usa algumas peças “chainmail” e um manto cintilante longo, escrito nas costas “MDNA”. Ela também dança com os pés descalços e a coreografia é meio futurista e um pouco cultish.

I’m a Sinner / Cyber-Raga – Madonna na guitarra e a música tem muito da vibe dos anos 70. Os dançarinos usam roupas coloridas, enquanto Madonna coloca um colar de flores em seu conjunto brilhante. Depois de “I’m a Sinner”, Madonna puxa seu violão e canta “Cyber-Raga”, juntamente com Kalakan.

Like a Prayer – As peças “chainmail” são retiradas e todo mundo se junta a Madonna no palco, vestindo roupas pretas com grandes cruzes brancas, estilo a apresentação do Super Bowl. Madonna canta no fim da passarela.

Celebration – Madonna remove a parte inferior do seu figurino e ao retirar o manto brilhante revela uma calça preta apertada, mas mantém a parte superior que também é usado no vídeo de ‘Girl Gone Wild’. Um clima muito enérgico e feliz com coreografia surpreendente, Madonna pulando de um bailarino para o outro no final da passarela. Madonna explora os sons de um DJ intensamente. Ela leva um par de fones de ouvido, gira os registros e também faz alguns arranhões. O cenário apresenta grande quantidade de cubos coloridos e toda a equipe desaparece em um cubo gigante.

Fim!

Setlist oficial do Madonna MDNA World Tour 2012

Madonna MDNA World Tour Setlist

Já começaram os preparativos para o tão aguardado retorno da rainha do pop Madonna aos palcos. Enquanto o palco do MDNA é montando em Tel Aviv para a grande estréia do Madonna MDNA World Tour 2012 nesta semana, dia 31, no Ramat Gam Stadium em Tel Aviv, Israel, já podemos confirmar o setlist do show. Saiba quais as músicas que Madonna cantará até dezembro deste ano, caso não tenha uma segunda parte em 2013.

1.Act of Contrition / Girl Gone Wild
2.Revolver
3.Gang Bang
4.Papa Don’t Preach
5.Hung Up
6.I Don’t Give A
7.Best Friend / Heartbeat (INTERLUDE)
8.Best Friend
9.Express Yourself
10.Give Me All Your Luvin’
11.Turn Up The Radio
12.Open Your Heart
13.Masterpiece
14.Justify My Love (INTERLUDE)
15.Vogue
16.Candy Shop
17.Human Nature / Erotica
18.Like A Virgin
19.Nobody Knows Me (INTERLUDE)
20.I’m Addicted
21.I’m A Sinner
22.Like A Prayer
23.Celebration

A turnê divulgará o novo trabalho de Madonna, MDNA, que conta com os singles ‘Give Me All Your Luvin”, ‘Girl Gone Wild’, ‘Masterpiece’ (single promo UK e Rússia) e ‘Turn Up The Radio’ (próximo lançamento).

Depois de Tel Aviv, as apresentações seguirão para as cidades de Abu Dhabi (3 de junho), Istambul (7), Zagreb (11), Milão (14), Florença (16), Barcelona (20), Coimbra (24) e Berlim (28). Em julho, Madonna pela Europa até chegar aos Estados Unidos no mês seguinte. Em dezembro, finalmente, a cantora desembarca no Brasil. Por aqui os shows acontecerão dia 1° na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro, dia 4 no Estádio do Morumbi, em São Paulo, e dia 9 no Estádio Olímpico, em Porto Alegre.

Ensaios do Madonna MDNA World Tour começam em arena começa nesta segunda-feira

O MADONNA WORLD TOUR, ou MDNA WORLD TOUR, de acordo com o jornal Newsday, Madonna e a sua equipa começam nesta segunda-feira os ensaios na arena Nassau Coliseum em Nova Iorque. A cantora e sua equipe já estão na fase final dos ensaios e partem agora para o trabalho mais pesado antes do primeiro show, dia 29 de maio, em Israel.

Os ensaios já acontecem com toda a estrutura de palco da nova tour de Madonna montada, iluminação e projeções, e num acordo entre a arena e a Live Nation, empresa responsável pelo novo show de Madonna, os empregados do Coliseum e a equipe de Madonna ensaiam na arena até final de Maio. Os empregados do Coliseum não darão qualquer tipo de informação sobre os ensaios devido ao contrato de confidencialidade.

Até o momento, a nova tour de Madonna possui 76 datas confirmadas e outras serão anunciadas em breve como no caso da America do Sul, por exemplo. Madonna, que já vendeu mais de 300 milhões de discos, passou pela Nassau Coliseum com sua tournê Blond Ambition, em 1990.

Madonna detém o recorde de tour feminina de maior sucesso da história com a “Sticky & Sweet Tour”, de 2008-2009, que faturou $408 milhões de dólares por 85 shows. Seu novo álbum, MDNA, foi lançado no dia 26 de março e vendeu um total de 1.280.000 milhão de unidades na primeira semana em todo mundo.

NÃO DEIXE DE CURTIR A PÁGINA DO MADONNA MADWORLD NO FACEBOOK.

MADONNA MDNA WORLD TOUR 2012: Rumores do set-list e ensaios

MADONNA - MDNA WORLD TOUR 2012Falta pouco mais de um mês para Madonna cair na estrada com o MADONNA WORLD TOUR, ou agora, MDNA WORLD TOUR, que terá início em Tel Aviv no dia 29 de maio, e muitos rumores sobre como será a tour de 2012 já começaram a pipocar nos fãs sites. Hoje o Madonnarama divulgou algumas informações.

Eis a lista preliminar da tour (músicas cotadas, ensaiadas – nada definitivo)

Gang Bang
Open Your Heart
I’m Addicted
I’m Sinner
Some Girls
Give Me All Your Luvin’
Girl Gone Wild
Turn Up The Radio
Love Spent
Justify My Love
Bedtime Story
Express Yourself
Get Together
Sorry
B-Day Song
Give It 2 Me
Revolver
Beautiful Killer
Falling Free
I Dont Give A
Everybody
Veras/You´ll See
Physical Attraction
Celebration
Holiday
Ray Of Light

A nova tour de Madonna, MDNA World Tour começa com cantos religiosos com Girl Gone Wild que, tal como na versão do álbum, inclui Act to Contrition e até partes do single de 1985 “Material Girl”. Em seguida, entra “Revolver”, de 2009, como vídeo backdrop iniciando assim “Gang Bang”. A quarta música será “Papa Don’t Preach” numa versão totalmente 2012.

“Hung Up”, grande hit de Madonna de 2005 e que todos já estão enjoados, segue reformulada e dá lugar as novas “I Don’t Give”, numa versão bem pesada com guitarras e “Best Friend” (numa versão semelhante a Heartbeat, do álbum “Hard Candy”)

“Express Yourself” trará muitas surpresas e o primeiro single do álbum MDNA, “Give Me All Your Luvin” num remix Just Blaze Remix, seguida por “Turn Up The Radio”.

Outra velha canção de Madonna é “Open Your Heart”, de 1986, e então chegamos a mais uma do álbum MDNA, “Falling Free”, numa versão muito semelhante com a do álbum, porém, com sons de violino mais proeminentes.

A segunda parte do show de Madonna, o Madonna World Tour, também inclui uma versão completamente renovada do remix de William Orbit para “Justify My Love“, incluindo novas letras, e um video interlude de “Nobody Knows Me“.

NÃO DEIXE DE CURTIR A PÁGINA DO MADONNA MADWORLD NO FACEBOOK

MADONNA CHART – Os 40 singles digitais mais vendidos de Madonna no iTunes do Reino Unido

Madonna e Justin Timberlake - 4 Minutes

Em quase 30 anos de carreira, Madonna já vendeu mais de 300 milhões de discos e colocou 13 singles no topo da parada inglesa e 11 álbuns em 1º lugar.

Agora com o lançamento do novo álbum, MDNA, seu 12º de estúdio, que debutará em primeiro lugar no próximo domingo (sim, será seu 12º número um CD), o Official Charts Company divulgou as 40 músicas de Madonna com mais downloads no iTunes inglês. Saiba quais são:

NÃO DEIXE DE CURTIR A PÁGINA DO MADONNA MADWORLD NO FACEBOOK.

014 MINUTES FT JUSTIN TIMBERLAKE – 475,000 (físicos + digitais)
02HUNG UP – 560,000  (físicos + digitais)
03GIVE IT 2 ME – 170,000  (físicos + digitais)
04SORRY – 195,000  (físicos + digitais)
05LIKE A PRAYER – 550,000  (físicos + digitais)
06CELEBRATION – 108,000  (físicos + digitais)
07VOGUE – 505,000  (físicos + digitais)
08HOLIDAY – 770,000  (físicos + digitais)
09FROZEN – 525,000  (físicos + digitais)
10JUMP – 52,038  (físicos + digitais)
11CRAZY FOR YOU – 42.000
12MATERIAL GIRL – 42.000
13GET TOGETHER – 40.000
14INTO THE GROOVE – 40.000
15LIKE A VIRGIN – 38.000
16LA ISLA BONITA – 38.000
17PAPA DON’T PREACH – 37.000
18GIVE ME ALL YOUR LUVIN’ FT NICKI MINAJ AND MIA – 36.000
19RAY OF LIGHT – 35.000
20DIE ANOTHER DAY – 32.000
21TRUE BLUE – 30.000
22BORDERLINE – 29.000
23MUSIC – 28.000
24BEAUTIFUL STRANGER – 25.000
25LIVE TO TELL – 22.000
26ME AGAINST THE MUSIC W/ BRITNEY SPEARS – 20.000
27MILES AWAY – 17.500
28CHERISH – 16.000
29DON’T CRY FOR ME ARGENTINA – 15.000
30OPEN YOUR HEART – 12.000
31EXPRESS YOURSELF – 10.000
32REVOLVER – 7.500
33THE POWER OF GOOD-BYE – 6.500
34DON’T TELL ME – 5.000
35LUCKY STAR – 5.000
36DRESS YOU UP – 4.000
37DEAR JESSIE – 3.500
38JUSTIFY MY LOVE – 3.500
39RAIN – 3.000
40THIS USED TO BE MY PLAYGROUND – 3.000

(As 10 primeiras vendas ao lado soman digitais + físicos – só pra informação do total, mas no caso desta tabela, a posição refere-se apenas às vendas digitais)

MADONNA CHART: Madonna emplaca seu 23º single #1 no Canadá com GIVE ME ALL YOUR LUVIN’

O novo single de Madonna, primeiro do álbum MDNA, debutou em primeiro lugar em uma das paradas mais famosas do mundo: Canadá. Com este feito, Madonna consegue seu 23º single no topo, mais do que qualquer outro artista. Give Me All Yourt luvin’ vendeu por lá 24 mil downloads, um aumento de 76%, e nas rádios sobe da 33ª para a 10ª posição, com aumento de 143% e público total de mais de 14 milhões de ouvintes. Confira:

Singles – semanas em 1º no chart canadense

Like A Virgin 1
Crazy For You 1
Live To Tell 2
Papa Don’t Preach 2
True Blue 1
La Isla Bonita 1
Who’s That Girl 1
Like a Prayer 4
Express Yourself 2
Cherish 2
Vogue 3
Justify My Love 1
This Used to Be My Playground 3
Secret 1
Take a Bow 2
Beautiful Stranger 2
Music 9
Don’t Tell Me 1
Die Another Day 7
American Life 2
Hung Up 3
4 Minutes 9
Give Me All Your Luvin 1

Enquanto isso, no Japão, o single é subiu do 42º para o 7º lugar geral e no Hot 100 Airplay subiu do #53 para o primeiro lugar do chart japonês. No Brasil, o single debutou no 23º lugar.

NÃO DEIXE DE CURTIR A PÁGINA DO MADONNA MADWORLD NO FACEBOOK.