Arquivo da tag: Like A Virgin

BLU-RAY MADONNA BLOND AMBITION TOUR JAPÃO

Bluray Madonna Blond Ambition Japan 2

Sensacional Bluray de uma das mais aclamadas tours de Madonna, “Blond Ambition Tour Japão”. O bluray trás vídeos bônus, resolução 1080p, widescream, som surround 5.1, alta resolução de imagem.

Express Yourself
Open Your Heart
Causing A Commotion
Where’s The Party
Like A Virgin
Like A Prayer
Live To Tell
Oh Father
Papa Don’t Preach
Hanky Panky
Now I’m Following You
Material Girl
Cherish
Into The Groove
Vogue
Holiday
Keep It Together

BONUS LIVES:
1.Express Yourself (VMA 1989)
2.Sooner Or Later (Academy Awards)
3.Vogue (VMA 1990)
4.Express Yourself/Like A Virgin/Like A Prayer/Live To Tell/Oh Father/Hanky Panky
Vogue/Holiday/Keep It Together (Truth Or Dare)

MUSIC VIDEOS: Like A Prayer/Express Yourself/Cherish/Oh Father/Vogue

Continue lendo BLU-RAY MADONNA BLOND AMBITION TOUR JAPÃO

Jean Paul Gaultier: “Não há ninguém como Madonna”

madonna e JEAN PAUL GAULTIER blond ambition

Esta é mais uma visita ao mundo da moda de Jean Paul Gaultier: da calçada à passarela, com mais um lançamento. Porém, apesar das repetições, Gaultier é excitável como se fosse a primeira vez, já que a moda – mesmo a que ele mesmo cria – chama atenção a novos detalhes sempre que você a vê.

“Percebi o tulle de um vestido que esqueci que havia criado”, disse ele, apontando a um vestido. “A forma com que a luz chama sua atenção a certas partes te lembra de detalhes esquecidos. Tenho criado por 38 anos, então é fácil esquecer cada detalhe de cada vestido”.

Seu lindo sotaque francês, o cabelo encaracolado e o sorriso infantil chamam a atenção ao primeiro espartilho que ele criou, no início dos anos 80. Ele se encontra na área privada dos cômodos da exibição. Este vestido representa o início da ideia do sutiã de cone, antes de se tornar famoso por Madonna na turnê “Blond Ambition”. Ainda jovem, Gaultier desenhou modelos de cone na ursa de pelúcia Nana – também em exibição.

“Não há ninguém como Madonna”, afirmou. “Ela se dirige, é talentosa, durona e interessante. Ela inspira homens e mulheres a seguirem-na. Ela comanda o próprio mundo”.

O relacionamento do designer e a musa causou muito interesse, e Gaultier admite que sempre se sentiu atraído pela presença e energia enigmática de Madonna. Ele disse que a viu pela primeira vez na televisão cantando “Like A Virgin” e ficou estupefato pela mistura de movimentos sensuais e conotações religiosas.

“Eu a pedi em casamento três vezes, mas ela sempre recusou”, confessou ele, revelando algo que manteve em segredo por décadas. E acrescentou: “As pessoas mudam, e não nos falamos mais”.

Empresário de Britney Sperars fala do famoso “beijo no VMA”

2003 MTV Video Music Awards - Show

No meio da performance de sucessos no Video Music Awards de 2003, Madonna surpreendeu a todos ao beijar Britney Spears no palco. Após um rápido corte de câmera ao ex-namorado de Britney, Justin Timberlake, que parecia confuso, Madonna também beijou sua outra parceira de palco: Christina Aguilera. Porém, foi o beijo em Britney que virou notícia.

Larry Rudolph, empresário de longa data de Britney, falou sobre o que aconteceu até o beijo, e como Madonna o agradeceu após o beijo ter acontecido e explodido o mundo. Segundo ele, “Madonna fora muito exigente com os ensaios. Ela dizia a Britney e a mim todo dia: ‘Esteja aqui amanhã às 10’. Ela nunca me chamava pelo nome, apenas dizia: ‘Certifique-se de que Britney esteja aqui amanhã às 10 horas’”. Sem querer chatear uma das maiores estrelas de todos os tempos, Rudolph cumpriu seu papel.

Toda a rigidez valeu a pena. Após a performance, Rudolph se viu em um elevador com Madonna, e ela acabou se lembrando do nome dele. Ela “me abraçou pela cintura e me deu um beijão na boca”, lembrou ele. “E disse: ‘Viu, Larry? Valeu tudo a pena!”.

IRMÃ CRISTINA: “É POR ISSO QUE ESTOU CANTANDO LIKE A VIRGIN DA MADONNA”

Madonna-Sister-Cristina-nun-Like-A-Virgin

Não tem sido fácil para muitas pessoas se acostumarem com a ideia de que uma freira venceu o programa de talentos The Voice cantar Madonna. Para outros, no entanto, ela tem sido uma grande novidade. Para todos, ela é uma completa novidade. É algo a se discutir, mesmo a longo prazo. Imagine o que irá acontecer quando o público ouvir a irmã Cristina Scuccia no rádio, cantando sua versão do sucesso controverso de Madonna, Like A Virgin.

E, como se não bastasse, a canção foi escolhida como lançamento para chamar atenção para o álbum de estreia, que sai em novembro no mundo todo. Ele conterá versões de músicas famosas, algumas canções do meio cristão, duas canções inéditas e a faixa de Madonna.

Inevitavelmente, você questionará: de onde veio esta ideia? O que ela está tentando fazer? Ela percebe que pode arrumar uma grande confusão? Sem mencionar as piadas sem fim e a reprovação nas redes sociais.

Com relação a tudo isso, a irmã Cristina decidiu conversar exclusivamente com o jornal italiano Avvenire, rejeitando pedidos de entrevistas do mundo todo:

Quem sugeriu cantar Like A Virgin? Eu escolhi. Sem a intenção de provocar ou escandalizar. Lendo o texto, sem se deixar influenciar por interpretações passadas, você descobre que a canção fala do poder do amor para renovar as pessoas. Para resgatá-las do passado. E é assim que eu quis interpretá-la. Por esta razão, nós transformamos a canção do ritmo pop que continha, para uma balada romântica, nos moldes de Amos Lee. Algo mais parecido com uma oração.

Irmã Cristina também falou sobre sua estreia mundial: “A ficha ainda não caiu totalmente. Tenho 26 anos, sou jovem, mas sei que tenho uma grande responsabilidade. Preciso testemunhar e sou feliz por isso. Sendo tão feliz por ter encontrado Cristo, gostaria que todos fizessem o mesmo”. Sobre como o sucesso no The Voice perturbou tanto sua vida que ela, às vezes, se arrepende de ter participado do programa: “Sinto a quase mórbida curiosidade da mídia como um peso nas minhas costas”. E também falou de inseguranças: “Se desse ouvidos a uma parte de mim, eu me esconderia”.

A entrevista nos permite entender as ideias e a imagem que a Irmã Cristina projeta na televisão. Algumas pessoas ficarão surpresas por ela não ter ganhado nenhum centavo pela vitória no The Voice, e por ela não ficar rica, mesmo se vender milhões de cópias do primeiro álbum: “Fiz um voto de pobreza: usaremos todo o dinheiro nos projetos da Congregação”.

Para concluir, ela disse que o Papa Francisco “é a melhor resposta a todos que acham que eu não deveria cantar na televisão”.

ASSISTA AO CLIPE DE ‘LIKE A VIRGIN’

Ron Weisner: “Não gostava de Madonna e ela não gostava de mim”

madonna_likeavirgin_set Ron Weisner

No livro “Ouça bem alto: uma vida na música – gerenciando McCartney, Madonna e Michael Jackson”, o empresário musical Ron Weisner, 69, compartilha detalhes sobre o trabalho com alguns dos maiores talentos de sua geração. Seu objetivo: “Uma estória honesta sobre meu envolvimento com esses artistas maravilhosos e a rotina: o bom, o ruim e, às vezes, o péssimo”, ele afirma.

Uma amostra de suas memórias mais ácidas do livro, a ser lançado no dia 3 de junho, sobre Madonna:

“Weisner dividia clientes com seu ex-parceiro Freddy DeMann. ‘Quando chegamos ao nome de Madonna, disse que ele podia tê-la, que não devíamos trabalhar juntos. Na hora em que essas palavras saíram da minha boca, senti um imenso peso sendo tirado de meus ombros. Não gostava de Madonna e ela não gostava de mim. Não me entenda mal: eu a respeito muito como artista e mulher de negócios. Ela aprendeu cedo a manipular a imprensa, criar controvérsia, levar tudo ao limite e, além disso, transformar tudo em dominação comercial. Sabia que, se ela não implodisse, o céu seria o limite. E eu estava certo. Só não queria estar por perto’”.

Sobre as reclamações de Madonna, enquanto gravava o clipe de Like A Virgin, na Itália:

“Sempre que desmontávamos as câmeras, ela reclamava. Sempre que entrávamos em um barco, ela reclamava. ‘Vocês são todos idiotas’, ela dizia à equipe italiana, que lutava pra conseguir filmar tudo. ‘Vocês desperdiçam o meu tempo. Desperdiçam o nosso tempo. Agora parem de enrolar e se apressem’. Perguntei ao Freddy: ‘Qual é o problema dela? Estamos na Itália. É mais divertido do que Long Island. O que ela tem que é melhor do que isso?’. Ele simplesmente ignorou.”

Rumor: Madonna e Miley Cyrus cantando juntas?

madonna e miley cyrus acustico MTVUm grande rumor toma conta dos noticiários do mundo pop – uma parceria inesperada. A convidada-surpresa do Acústico MTV Miley Cyrus é ninguém menos do que Madonna! Sim, Miley e Madonna cantando juntas!

Fontes me dizem que as duas estavam ensaiando hoje cedo. Nada foi dito sobre o que elas irão apresentar, mas realmente importa? Elas poderiam ler o catálogo telefônico e o mundo pararia pra ouvir. Miley Cyrus: Acústico MTV será gravado amanhã e irá ao ar na noite de quarta-feira, às 21h.

“A performance irá mostrar um lado mais íntimo de Cyrus, com convidados para uma inesperada reinvenção das canções que definiram a carreira dela, incluindo várias do álbum #1 Bangerz”, afirmou a MTV semana passada. “Miley e os fãs sempre tiveram uma conexão íntima e direta através da música, personalidade e uma atitude sem barreiras, e o palco do Acústico servirá como a plataforma perfeita pra ela mostrar aos telespectadores o que inspira e projeta sua música e suas paixões”.

Miley Cyrus: MTV Unplugged tapes tomorrow (I’ll be there!) and will air on the music network Wednesday night at 9 p.m.

Na verdade, Cyrus se comparou a Madonn logo após sua performance infame com Robin Thicke (e o dedo de espuma) no VMA do ano passado. “Ontem, falei sobre algumas performances de Madonna, e disse: ‘Em algum ponto, tudo se torna irrelevante’. Sabe, ninguém pensa em quando ela cantou Like A Virgin no VMA”, disse a ex-queridinha da Disney ao New York Times. “Aquilo se tornou um padrão, no qual disseram: ‘Oh, é o estilo dela’. Então, sinto que, agora que cantei no VMA, aquilo também se tornou um padrão pra mim, e, quando eu fizer alguma outra coisa, as pessoas dirão: ‘Miley se comportou hoje’”. (E! Online)

DOWNLOAD: Madonna “It´s That Girl” álbum promo

madonna - it's that girl promo CD

‘It’s That Girl’ é uma compilação com alguns clipes de Madonna dos álbuns Madonna, Like a Virgin, True Blue e Who’s That Girl, em versões remixes, estendidas ou edits.

Foi lançada em 1987 no Reino Unido para promover a “Who’s That Girl Tour”. Aqui está o VHS remasterizado em áudio, com as seguintes faixas:

– Holiday
– Lucky Star (Edit)
– Like A Virgin
– Material Girl
– Into the Groove
– Angel
– Dress You Up
– Borderline” (Edit)
– Live to Tell” (Edit)
– Papa Don’t Preach
– True Blue” (Remix)
– Open Your Heart” (Remix)
– La Isla Bonita” (Remix)
– Who’s That Girl

DOWNLOAD AQUI (senha: themadonnacn)

Parabéns Madonna – 55 anos da rainha do pop!

b'day aniversário madonna 55 anos

A rainha do pop Madonna completa mais um ano de vida, 55 anos. Para muitos, este número soa alto demais e é sinônimo de aposentadoria. Para outros, de vitalidade e sinônimo de que há muito o que fazer.

Pois então, Madonna, com toda aquela energia e pique que conhecemos, que, inclusive acabamos de vê-la em exaustivos shows, não dá indícios de que irá parar algum dia. Não faz parte de seu vocabulário o ostracismo, e hoje, uma data que para muitos fãs é especial por se tratar de uma pessoa que nos orgulha por todo trabalho que fez nos últimos 30 anos, merece celebrações em todo mundo, afinal, o aniversário dela é como se fosse o nosso, e, afinal, ela…

– Lançou “Holiday” para podermos cantar a exaustão e declarar feriado mundial;
– Ganhou o apelido de “Material Girl” e virou febre mundial com o álbum “Like A Virgin”;
– Não deu aos fãs o registro da tour “Virgin” em DVD (mas pelo menos o temos em LD ou VHS);
– Madonna disse que ia ter seu bebê e teve e brigou com muita gente por isso, até com o pai, que mandou não se meter;
– Nos faz sonhar até hoje com San Pedro;
– Nos faz lembrar que “Spotlight” tocava 50x ao dia no Xou da Xuxa;
– Causou muita confusão com “Like A Prayer”, quebrou contrato com a Pepsi, tirou vantagem disso depois, afinal, de boba Madonna não tem nada, e contestou o catolicismo;
– Madonna mostrou ao mundo o que era o “Girl Power” muitos anos antes que as Spice Girls;
– Madonna teve o vídeo censurado pela MTV, não se fez de ofendida e tratou de lançá-lo em VHS como o primeiro video-single da história;
– Mostrou para as inimigas como elas deveriam se apresentar na TV após sua performance de “Vogue” no VMA;
– Aliás, tem VOGUE na sua discografia…todo mundo se soltando;
– Lucrou com o próprio corpo num livro sensacional, que bateu recorde de vendas, e tornou-se mais uma referência pop. Aliás, virou dona do próprio nariz e montou sua própria gravadora;
– Veio pela primeira vez ao Brasil em 93, com direito a uma suruba simulada no palco e até “bunda suja”. Ah, antes ela já tinha feito sexo consigo mesma numa cama e enfurecido o vaticano por isso na Blond Ambition Tour;
– Gastou milhões em um belíssimo clipe que é considerado uma obra de arte digna de exposição, “Bedtime Story”;
– Não pediu desculpas por tudo, já que é a sua natureza de humana;
– Madonna compilou suas melhores baladas num CD belíssimo com aquelas fotos Versace;
– Ganhou um globo de ouro de melhor atriz por EVITA e fez a crítica engolir de vez o veneno;
– Madonna ganhou grammys com uma preciosidade discográfica chamado de “Ray Of Light”; e aqueles clipes maravilhosos? Quem nunca andou pela praia a noite e não se sentiu no vídeo de “The Power Of Goodbye”?
– Fez a Marília Gabriela subir as tamancas numa entrevista;
– Tacou um som estranho nas pistas, fez o povo torcer o nariz por alguns segundos e depois todo mundo correu pra pista não resistindo as batidas de “Music”;
– Depois de anos sem tour, Madonna voltou pra estrada com o “Drowned World Tour”, mas antes ela casou e teve seu segundo filho, que hoje até dança com ela;
– Sequestrou uma velhinha, atropelou, assaltou um caixa eletrônica, e teve mais um clipe polêmico proibido na MTV;
– Falou umas verdades para o Bush, peitou os EUA, fez dedinho no clipe e no final, ainda beijou Britney Spears e Christina Aguilera no VMA; ah, e depois saiu em tour que acabou virando um documentário que todos os fãs torcem o nariz porque todos querem o show em DVD. Madonna sempre do contra;
– Mas aí colocou novamente o mundo aos seus pés ao som de “Hung Up” e do álbum “Confessions On A Dancefloor”, quebrando recordes;
– Virou uma ativista de primeiro time e hoje é líder em diversas causas humanitárias;
– Se crucificou em pleno palco numa cruz que vale mais que toda a sua grana e fez uma tour maravilhosa e, claro, a igreja novamente esbravejou;
– Gravou um disco pelas coxas, mas se redimiu com uma nova tour e até passou pelo Brasil e fez as linhas da Time 4 Fun explodirem. Muito alvoroço;
– Conheceu um modelo brasileiro (Jesus Luz), todo mundo falou sobre, e até o colocou pra ser o DJ do vídeo de “Celebration”. Ah, lançou sua quarta coletânea e um DVD com quase todos seus clipes;
– Madonna “Comprou” um país;
– Entre 2009 e 2011, Madonna esteve imersa na produção de seu primeiro longa metragem, W.E., o que a fez não se dedicar ao mundo da música durante o período;
– Deu um tempo na música e voltou com tudo cantando seu hino gay num evento esportivo americano batendo recorde de audiência, não superado pela Beyoncé este ano; Madonna arrasou no Superbow, fato!
– Voltou ao Brasil para divulgar o álbum MDNA que, no fim das contas, não teve divulgação e isso irritou todos os fãs do mundo, mas……….
– Lutou contra o preconceito com pessoas mais velhas, e isso a fez mostrar os mamilos e as nádegas durante performances de sua recente turnê, a MDNA Tour, bem como apresentar um vídeo arrebatador para a canção “Nobody Knows Me”, como interlude de seu show. Neste vídeo, há críticas ferrenhas também a machistas, homofóbicos e políticas de extrema direita, como é o caso de Marine Le Pen. Seu último feito foi criticar duramente o governo russo por ter prendido o grupo Pussy Riot após protesto em capital russa, bem como falar abertamente contra a lei anti propaganda gay de São Petersburgo. E com tudo isso…
– Continuamos loucos por ela, e como ela já disse, ela sempre nos compensa com algo sensacional quando pisa da bola. O MDNA Tour está aí pra provar.

Que venha mais 30 anos cheios de saúde, de energia, de muita música, de vídeos, shows, de quebra de regras, de polêmicas, de escândalos, de ousadias, de atitude, ou seja, de tudo aquilo que somente o a persona MADONNA é capaz de oferecer a sua legião de seguidores, afinal, ela é a única que pode se gabar de completar 55 anos e 30 de carreira no auge, em todos os aspectos, em sua sua triunfante jornada. Ela não é a voz de 3 gerações a toa!

Parabéns, Madonna, pelo aniversário de 55 anos!
Como seu fã, só me resta lhe dar todo meu amor.

Single de “Borderline”, do primeiro álbum de Madonna, completa 29 anos

madonna-borderline
Hoje é aniversário de 29 anos de um dos mais aclamados singles do primeiro álbum de Madonna, “Bordeline.”

Em 1982, Madonna estava trabalhando com o produtor Reggie Lucas no seu primeiro álbum. Ela já compôs três músicas, quando Lucas trouxe uma de sua própria composição para o projeto e chamou de “Borderline”. No entanto, após a gravação da música, Madonna estava descontente com a forma como a versão final saiu. Segundo ela, Lucas usou muitos instrumentos e não considerou suas idéias para a canção. Isto levou a uma disputa entre os dois. Depois de terminar o álbum, Lucas deixou o projeto, sem alterar as músicas com as especificações de Madonna. Assim, Madonna trouxe seu então namorado John “Jellybean” Benitez para remixar “Borderline” e algumas das outras faixas gravadas. O single foi lançada dia 15 de fevereiro e tornou-se o primeiro single Top 10 de Madonna na Billboard e foi Top 20 em diversos países da Europa. Nos Estados Unidos, foi certificado ouro com vendas de 500 mil cópias.

No Reino Unido, foi lançado no dia 2 de junho de 1984 chegando no #56. Foi relançado no dia 01 de janeiro de 1986 e chegou na 2º posição com 310 mil cópias vendidas. Também, foi #23 na Suiça, #12 na Austrália e #1 na Irlanda.

PERFORMANCES AO VIVO

Foi apresentada ao vivo na tournê THE VIRGIN TOUR (mas não tem registro profissional – não entrou no VHS da tour) e numa versão rock em 2008 na STICKY & SWEET TOUR.

O CLIPE

O clipe de Borderline foi dirigido por Mary Lambert, e conta a história de uma modelo que atura uma crise de ciúmes do namorado.

– Australia Kent Music Report[29] 12
– Belgian VRT Top 30[26] 4
– Canadian RPM Singles Chart[19] 25
– Dutch Top 40[27] 3
– Irish Singles Chart[25] 1
– New Zealand Singles Chart[27] 47
– Swiss Singles Chart[28] 23
– UK Singles Chart[22] 2
– US Billboard Hot 100[10] 10
– US Hot Adult Contemporary[10] 23
– US Hot Dance Music/Club Play[10] 2

Crítica: Madonna exibe seus “bens” na Arena Philips, em Atlanta

Ouviu-se no banheiro feminino no final do show de Madonna: “Ela era boa. Agora, ela está tão…estranha”.

Madonna

Uma das figuras mais extremistas da história da música popular sendo classificada como incomum não é novidade. Madonna se tornou Madonna não por causa de sua habilidade vocal limitada ou coreografias criativas – ela o fez baseada numa habilidade provocativa sem igual, uma mente sagaz para negócios e ótimas colaborações de composições que ajudaram-na a criar dezenas de músicas pop atemporais.

Agora, ela tem 54 anos, intensamente consciente de que não conseguirá apresentar um show de duas horas equivalente a um espetáculo da Broadway noite após noite por quase 6 meses, ou que ficar apenas de sutiã preto e calcinha, como fez no show na Arena Philips, não lhe dará assobios e gritos por seus firmes “bens” pra sempre.

Tais óbvias realizações explicam a grandiosidade explícita deste show, uma produção tremenda que, às vezes, apresentou bateristas suspensos sobre o palco, cubos iluminados e impressionantes, 15 dançarinos em vários figurinos chamativos, exibindo peitorais musculosos (os homens, claro) e um alegre show de moda durante Vogue. A líder Madonna quase não teve tempo de beber água e, enquanto não pode ser criticada por muitas coisas – como o Auto-Tune desenfreado e a cantoria questionável durante coreografias pesadas – ela vai à exaustão no palco, pelo benefício de um show de primeira.

A extravagância foi dividida em quatro seções/temas, que inicialmente continham um monte de violência besta. Revolver e Gang Bang apresentaram-na ostentando uma arma, ondas de sangue inundando a enorme tela, de quase 1km de altura, sempre que ela matava um bandido no estilo “vilão de James Bond”.

Na verdade, muito da primeira parte do show pareceu uma produção do Cirque du Soleil. Você está lá, confuso, mas não quer desviar o olhar com medo de perder aquele segundo precioso. Daí, novamente, a julgar pelo número de pessoas que passaram a maior parte do show mandando mensagens de texto e vendo fotos nos telefones, talvez Madonna tenha saído muito de seu curso, sem, ao menos, suavizar nossas tendências tecnológicas.

Mas se há uma queixa legítima sobre esta turnê, não é que ela tocou músicas do MDNA, seu último álbum. O que você esperava? O problema é que apenas algumas dessas canções são boas o bastante pra garantir o foco.

A acústica e linda Masterpiece, apresentada com o trio basco Kalakan, foi um ponto alto do show, que começou às 22h30, fato frequentemente mencionado desde que a turnê começou. Além dela, a irritável I Don’t Give A…, que apresentou Nicki Minaj no vídeo, deve ter sido um sucesso em outra era musical. Mas muitas outras – I’m Addicted, Girl Gone Wild – são esforços esquecíveis, enquanto Gang Bang é, meramente, um refrão chato sobre uma batida latejante e guitarras frenéticas.

Claro que haverá fãs do show, esgotado, que irão reclamar que Madonna não cantou sucessos suficientes, e eles teriam razão. Mas, na última década, nenhuma turnê de Madonna incluiu mais do que alguns dos hits dos anos 80, e a maioria destas canções foram tão recriadas, que ficaram irreconhecíveis.

Pelo menos no sábado, os fãs receberam uma Papa Don’t Preach mais fiel, uma Vogue excitante e uma versão tradicional de Open Your Heart, novamente com Kalakan. A única falha verdadeira foi transformar Like A Virgin numa supostamente ardente canção, que Madonna apresentou com o sutiã supracitado e calças, primeiramente elevadas na linha do estômago, no fim da passarela, e depois sobre um piano, no estilo do filme Os Fabulosos Irmãos Baker. Claro que seria ridículo se ela cantasse a versão original, mas transformá-la em lixo não foi a melhor escolha.

Àqueles ansiosos pela Madonna vintage, ela fez uma aparição mais cedo no show, quando, vestida com o figurino de baterista de banda e mostrando um pouco da coreografia com os pompons – algo que você não verá em qualquer jogo de futebol colegial – ela apresentou Express Yourself. No meio da canção, Madonna chegou ao refrão de Born This Way, de Lady Gaga, provando que ela rouba a mesma linha melódica, daí enfiou a faca no melhor estilo Madonna adicionando o refrão de sua própria She’s Not Me.

Entendido! A questão é a seguinte: mesmo quando Madonna está criando e apresentando um show que é mais pro seu próprio interesse do que para agradar fãs que ainda usam luvas de renda e rendem-se aos seus shows…é uma evolução necessária!

Podemos nem sempre concordar com as direções dela, mas, como Minaj lembra no fim de I Don’t Give A…: “Só há uma rainha, e é Madonna”. Access Atlanta