Arquivo da tag: Give Me All Your Luvin

Madonna é a artista com mais singles Top 10 da Billboard

madonna billboard beatles top10 singles

Madonna lidera a lista de artistas com mais músicas no Top 10 da Hot 100 da Billboard, com 38. Além dela, os Beatles, que entraram na lista pela última vez com o single Free As A Bird, de 1995, estavam empatados com 34, até Madonna garantir o 35º, com Die Another Day, em 2002. Ela conseguiu o 38º e mais recente com Give Me All Your Luvin’, com Nicki Minaj e M.I.A. em 2012.

Continue lendo Madonna é a artista com mais singles Top 10 da Billboard

MOJO: “Fiz Madonna regravar 20x Beautiful Killer”, Martin Solveig

Martin Solveig e madonna - mdna e rebel heart

Mais um trecho da entrevista de Madonna para a revista MOJO 2013. Após o genérico Hard Candy, o DJ e produtor francês Martin Solveig ajudou Madonna a se recarregar em MDNA.

“Ela ouvira as minhas canções Hello e Boys & Girls e viu qualidades que queria no MDNA: canções otimistas e felizes com as quais você poderia dançar. Madonna é extremamente boa em achar o meio termo entre o produtor e ela mesma, e dar o toque pessoal nisso. Continue lendo MOJO: “Fiz Madonna regravar 20x Beautiful Killer”, Martin Solveig

Rebel Heart reforça a relevância de Madonna

madonna-interview-cover-rebel heart charts

Apesar dos críticos que insistem pra ela desistir de tudo, Madonna está determinada a dominar a cultura social mais uma vez. Ela está nas manchetes e, pela primeira vez em dois anos, o tema da conversa é a música.

Nas últimas semanas, várias demos das novas canções caíram na rede, forçando Madonna a pensar logo na próxima jogada. Numa decisão aparentemente desesperada, ela concluiu seis faixas e as disponibilizou para download no dia 20 de dezembro de 2014, além de anunciar que o 13º álbum de estúdio, Rebel Heart, agendado para lançamento apenas em 10 de março de 2015, viria com mais 13 faixas.

Cada lançamento de Madonna é tido como algo de alto padrão por críticos profissionais e fãs mais ardorosos. Por bem ou mal, a Rainha do Pop tem um legado impressionante a manter, e não é suficiente pra ela lançar um bom álbum Pop. Ela deve lançar o melhor álbum toda vez, ou seja, cada lançamento deve ditar moda e ser icônico. É por isso que os críticos e fãs não gostaram de Hard Candy (2008) e MDNA (2012). Para outros artistas como Britney Spears ou Katy Perry, estes seriam álbuns sólidos, mas, para Madonna, foram tentativas chatas de apelar ao grande público. Obviamente, não é justo, e tantas expectativas tão altas ignoram o fato de que até mesmo o trabalho mais fraco de Madonna é significantemente mais interessante do que o pop contemporâneo. Porém, é melhor isso do que aceitar tudo que ela faz simplesmente por levar o nome dela.

Ao contrário dos Little Monsters, dos Swifties e dos Arianators, os fãs de Madonna não têm medo de dizer quando ela precisa se esforçar mais, e não a defendem apenas por gostarem dela. Quando ela lançou Give Me All Your Luvin’ como primeiro single do álbum MDNA, por exemplo, os fãs a desdenharam, e a grande maioria não conteve a decepção. “Como uma artista premiê da música Pop produz um single banal e estúpido?”, pensaram eles. Tal preguiça não seria tolerada.
Se o vazamento de Rebel Heart terá impacto nas vendas da primeira semana ou não, os fãs de Madonna podem descansar, sabendo que será o melhor álbum dela desde Confessions On A Dancefloor (2005), se não melhor. Há um sentimento de alívio e respeito por ela desta vez.

A primeira faixa, Living For Love, é a mais alegre desde Express Yourself, e nos mostra por quê Madonna ainda é importante hoje. A produção, inspirada na batida House dos anos 90, é audível instantaneamente, e a letra inspiradora se encaixa na obsessão do Pop contemporâneo com otimismo e autoajuda. Como as faixas Shake It Off, da Taylor Swift; Break Free, da Ariana Grande; e Roar, da Katy Perry, Living For Love é um hino de sobrevivência. Entretanto, ao contrário dos outros grandes artistas, Madonna já viveu o suficiente para ser uma sobrevivente, o que faz a canção dela ser mais poderosa e emocionante.

Devil Pray é a segunda faixa, e lembra a Madonna mais introspectiva de Ray Of Light (1998) e American Life (2003). A canção traz Madonna em busca da salvação, e é confusa e linda ao mesmo tempo. A faixa 3, Ghosttown, também é introspectiva, e é, discutivelmente, a canção de amor mais sombria da carreira dela.

Embora fãs e críticos são unânimes em elogios às primeiras três faixas, as outras três – Unapologetic Bitch, Illuminati e Bitch, I’m Madonna – dividem opiniões. Uns admiram a audácia de Madonna em se divertir, enquanto outros acham que ela está velha demais pra cantar sobre farras. Alguns apreciam a habilidade de Madonna de experimentar sons atuais, enquanto outros queriam que ela parasse de tanto tentar permanecer relevante.

Apesar das críticas negativas, é impossível não admirar a bravura de Madonna. Em uma época em que a música Pop está saturada de jovens em seus vinte e poucos anos, a veterana de 56 assume um grande risco sempre que volta pra recuperar o trono. Ela se arrisca a isolar os fãs mais antigos, assim como se separar da geração mais jovem que não se familiariza com a personalidade mais agressiva dela. De certa forma, ela lembra o cineasta Jean-Luc Godard, que, aos 84 anos, decidiu lançar o primeiro filme digital em 3D, Goodbye To Language, em 2014. Apesar dos críticos que insistem pra ela desistir de tudo, Madonna está determinada a dominar a cultura social mais uma vez.

O fato dela ter sido bem-sucedida, pelo menos por ora, é uma conquista impressionante, e questiona a significância das vendas na era digital. Uma artista como Madonna não precisa de um sucesso #1 da mesma forma que Taylor Swift e, neste momento da carreira, ela parece estar mais interessada na qualidade da música do que em qualquer outra coisa. Ao invés de perseguir o topo das paradas como fez com Hard Candy e MDNA, Madonna finalmente parece perceber que o panorama da cultura Pop que ela dominou nos anos 80, 90 e no início do ano 2000, mudou drasticamente. Tais mudanças a liberaram e a inspiraram a fazer a música mais pessoal e coesa da carreira.

A ideia do legado de um artista merece contemplação, especialmente quando ícones como Madonna continuam criando. Como devemos medir o novo álbum de Madonna, e de que maneiras ele pode influenciar a reputação dela? As vendas da primeira semana e a quantidade de singles no Top 10 realmente importam? E as críticas positivas dos especialistas e dos fãs? Qual a importância da qualidade?

Talvez, nada disso importe, a menos que o artista entre no debate, o que Madonna segue fazendo com cada lançamento. Sempre que alguém opina a respeito dela, de forma positiva ou negativa, eles reforçam a relevância dela. Usuários de redes sociais em todo o mundo se juntaram à discussão após o lançamento-surpresa das seis canções supracitadas, uns comemorando o retorno dela, e outros condenando a carreira toda. De qualquer forma, todos se importam o suficiente para opinarem.

Quando a poeira baixar, Rebel Heart será citado como um dos melhores álbuns de Madonna, e fãs e críticos elogiarão o retorno dela à forma. Entretanto, como todos sabemos, os debates nunca foram apenas sobre música, e, mais do que tudo, Rebel Heart mostra que ela ainda é a artista mais comentada do mundo. (PopMatters)

Madonna novo álbum com Avicii: Será que ela justifica o seu amor?

madonna novo album 2014 avicci superbowl

Após dois polêmicos álbuns, o próximo disco de Madonna será decisivo para muitos seguidores exasperados. Nós sobrevivemos às suplicas dela pra vermos o rebolado por Hard Candy e ignoramos o apressado e incoerente MDNA. Agora, a conta de Madonna no Instagram confirma que ela voltou ao estúdio com uma dúzia de compositores e produtores escandinavos, incluindo Avicii e a cantora/compositora britânica Natalia Kills.

Mas se Madonna quiser – ou se importar – ser relevante outra vez como musicista, ela precisa aprender com os erros que cometeu com MDNA:

Não reduza a qualidade de suas letras:

Madonna tem 55 anos, dois ex-maridos, quatro filhos; prefere namorar homens mais novos e é a mulher mais famosa do mundo. É material suficiente para se trabalhar. Por favor, chega de rimas do tipo “esperando, ansiando”, chega de nos avisar que o tempo está passando e de dizer o quanto gosta de dançar. Já sabemos de tudo isso. Não sabemos quem Madonna é atualmente. Ela pode juntar quantos produtores quiser, mas, quando compõe melodias fracas e letras genéricas, Madonna não mais revoluciona o Pop, ela apenas o segue.

Não desvie:

A pós-produção do filme W.E. levou mais do que o esperado, seguida de promoção mundial. Entretanto, sobrou pouco tempo para promover o álbum MDNA. Até mesmo seu produtor diplomático William Orbit admitiu: “Fomos pressionados devido a…vários compromissos de mídia, que acabaram com o tempo limitado da artista, como campanhas de perfume e concursos de moda adolescente, além de outros. Todos estávamos completamente fixos a nos dedicar ao máximo para fazer de MDNA o melhor álbum do ano, mas, infelizmente, não houve tempo”.

Poster do filme de Madonna, W.E.

Não arruíne o lançamento do primeiro single:

No Reino Unido, lar de uma das fã-bases mais fieis, o primeiro single Give Me All Your Luvin’ recebeu mínima atenção das rádios. Daí, uma breve promoção permitiu aos fãs baixar a música de graça se eles comprassem o álbum MDNA na pré-venda, o que significou que Give Me All Your Luvin’ não era eleita às paradas. Quando disponível para compra como uma faixa singular, o momento já havia passado e o single chegou apenas no desastroso 37º lugar.

Não continue com singles ainda mais fracos:

O segundo e terceiro singles Girl Gone Wild e Turn Up The Radio eram faixas genéricas que podiam ter sido gravadas por qualquer cantora, de Katy Perry a Carly Rae Jepsen. O responsável por escolher os lançamentos de MDNA deveria se envergonhar.

E, daí, não case “insultos” com “acidente” e grave clipes ruins:

Apesar do clipe de Girl Gone Wild ter sido banido de acesso público no Youtube por ser “muito provocante”, com homens seminus (o que já fora visto nos clipes Justify My Love e Erotica duas décadas antes), o burburinho foi pouco com este segundo single. Ele não chegou ao Top 100 da Billboard e, no Reino Unido, permaneceu em 73º. Turn Up The Radio ganhou um clipe barato que podia ter sido gravado com um iPhone e foi, discutivelmente, a pior coisa que ela já filmou desde Destino Insólito. Esta era a mesma pessoa que revolucionou com Like A Virgin, Express Yourself, Like A Prayer e Bedtime Story?

Não subestime o poder da promoção…

MDNA se tornou um exemplo raro de críticos amando o trabalho de Madonna mais do que seu público. Porém, sem um single bem-sucedido ou qualquer tipo de publicidade da parte de Madonna (apesar de uma entrevista de 10 minutos pré-gravada para o programa Daybreak), muitos britânicos sequer perceberam que ela lançara um novo álbum. Seus leais fãs a levaram, sozinhos, ao topo das paradas. Porém, na terceira semana, o álbum já havia saído do Top 10. Promovendo o filme W.E. enquanto ensaiava pro Superbowl e planejava uma turnê, Madonna não conseguiu dar conta de tudo. O resultado foi a baixa venda de MDNA.

Capa do álbum MDNA, de Madonna

…mas não o promova em estádios!

Turnê, ingressos e produtos exclusivos sempre venderão mais do que um álbum. Mas achar o lugar certo para um show de Madonna é fundamental para o público experimentar e entender seus esforços criativos. Estádios impessoais são, geralmente, inúteis, a menos que você desembolse um bom dinheiro para o “círculo dourado” ou na fila da frente. Muitos detalhes da MDNA Tour se perderam para aqueles que mal viam o palco ou onde a qualidade do som era tão baixa, que se tornava inaudível. Fóruns na Internet se enchiam de reclamações das pessoas que saíam do show antes do fim. Enquanto é mais lucrativo se apresentar em um estádio com capacidade para 70 mil pagantes ao invés de fazer 10 shows em uma arena para 10 mil, o dano apenas será calculado com os recibos da turnê seguinte.

Não esqueça do seu legado.

Tenho comprado os discos de Madonna, Picture discs, singles, álbuns e downloads de 1983 até agora. Eu a defendi durante a infame era de Erotica e Corpo em Evidência; com os crucifixos flamejantes de Like A Prayer e o falso lesbianismo de Justify My Love. Fui a todas as turnês de Who’s That Girl a MDNA. Ainda estou aqui, apesar dos maus momentos, e me diverti com os bons.

É pelos detalhes e pela ingenuidade que sempre admirei Madonna. Ela se inspirou em outros artistas como Blondie, Bowie e Jackson, e, mesmo assim, conseguiu ser original nas ideias que remixou e revisitou. E é isso que está faltando – sinto que Madonna perdeu sua identidade. Ela é apenas Madonna, uma marca sendo corroída por lançamentos de perfume, academias, cremes pra pele, sapatos e roupas. Tudo isso agrega valor à sua produção, mas custando sua credibilidade.

Finalmente, não me dê atenção.

Afinal, o que eu sei? Eu jamais conseguirei influenciar, alcançar ou mudar percepções como Madonna fez, e é fácil pra mim sentar no computador e reclamar. Sei que sou egoísta – quero que Madonna permaneça como a maior artista pop do mundo. E, claro, continuarei nesta jornada iniciada 30 anos atrás, sem me importar com o próximo lançamento. Porém, como fã de longa data, espero – e anseio – por algo mais.

M.I.A. pede dinheiro emprestado a Madonna por Super Bowl

M.I.A. pede dinheiro emprestado a Madonna por causa do SuperBowl

Como revelado no último mês de setembro, a liga NFL vem tentando punir a cantora M.I.A. pelo que aconteceu no Super Bowl do dia 5 de fevereiro de 2012 durante a apresentação de Madonna. Durante o evento, assistido por aproximadamente 167 milhões de pessoas, a rapper do Sri Lanka mostrou o dedo do meio na performance de Give Me All Your Luvin’, primeiro single do álbum MDNA, da rainha do pop.

M.I.A. não recebeu nada pelo evento, como de costume pela liga. Mesmo assim, a NFL passou dois anos exigindo US$ 1,5 milhão por quebra de contrato e por manchar a boa vontade e reputação.

Agora, a NFL adicionou mais uma denúncia, buscando US$ 15,1 milhões de restituição pelo valor de exposição pública recebido por aparecer por quase dois minutos durante a performance de Madonna. Os números se baseiam no que seria pago em publicidade no horário. “A reivindicação de restituição não possui base legal, factual ou lógica”, afirmam os papéis de M.I.A., arquivados na última sexta.

A estrela contou que a “busca contínua deste procedimento é um exercício transparente da NFL apenas para enfrentar e fazer disso um exemplo a quem desafiar a NFL”. Pelo twitter, M.I.A. ironizou no twitter “pedindo emprestado” 16 milhões para Madonna, que era a atração principal do intervalo da competição.

Como noticiado anteriormente, Howard King, o advogado de M.I.A., vem tentando anular o argumento da NFL, de que sua reputação foi danificada, ao solicitar informações do público, no que diz ser falta de benefícios para a NFL. Ele até mesmo criou um e-mail (NFL@khpblaw.com), para “equilibrar o campo de jogo”.

Os últimos papéis de M.I.A. acusam o “comportamento profano, libidinoso, lascivo, degradante e/ou inaceitável de seus jogadores, donos de times, treinadores e gerentes e dos artistas escolhidos e patrocinados pela NFL para se apresentar em seus shows de intervalo”.

Por exemplo, há a apresentação de Michael Jackson em 1993, na qual o cantor agarrou a genitália enquanto cantava Billie Jean.

“Esta foi a primeira investida da NFL contra apresentações lascivas em seus shows de intervalo”, como consta nos documentos de M.I.A.. “Será revelado que a NFL estava totalmente ciente de que Jackson faria o movimento em sua apresentação”.

E tem também a performance de Prince, em 2007. “Durante parte da apresentação, ele foi iluminado contra um pedaço de tecido para projetar sua sombra”, afirmam os papéis de M.I.A.. “Sua sombra maximizada apareceu fazendo carícias numa guitarra estilizada, como se fosse num pênis ereto, de maneira reminiscente a Jimi Hendrix. Espera-se uma confirmação de que a NFL sabia antecipadamente o que seria apresentado, do ensaio antes do jogo à configuração do palco”.

Até Madonna, em 2012, é mencionada:

“O show claramente apresenta cenas de jovens dançarinas (possivelmente nem adultas) em posições reclinadas, com pés e mãos e/ou ombros jogados para trás. As mulheres elevando as regiões pélvicas de maneira evocativa de atos sexuais (provavelmente qualificadas como ‘indecentes’), ou, pelo menos, de maneira consistente com cenas de um club de strip”.

Os documentos de M.I.A. não são apenas sobre os artistas. Uma recente proposta de avaliar a punição das 15 jardas pelo uso de insultos racistas é contrastada com a exigência de US$ 16 milhões. O escândalo envolvendo o atacante Richie Incognito, dos Miami Dolphins, foi mencionado, assim como uma rejeição judicial de um acordo de US$ 765 milhões.

A cantora disse que não deve haver responsabilidade ou danos baseados em especulações. E os documentos legais dizem ser “implausível” que qualquer multa seja aplicada após anos de inação e recentes decisões da Suprema Corte. E mais, a responsabilidade do canal transmissor NBC pode ser investigada.

“NFL e NBC falharam no exercício da conduta do Show do Intervalo do Super Bowl por não ativar o ‘atraso de 5 segundos’ na transmissão”, dizem os papéis de M.I.A.. “Qualquer culpa ou responsabilidade deve ser diminuída por negligência da NBC. Ainda não foi revelado se o contrato da NBC devia algo à NFL em termos de operar o ‘atraso’. É muito provável que seja este o caso”.

Madonna é indicada em 6 categorias ao ‘WMA2014’

madonna world music awards 2014

Madonna é indicada em 6 categorias ao ‘World Music Awards 2014‘. A premiação acontece dia 27 de maio. Vote pela internet:

1.World’s Best Entertainer
2.Best Female Artist
3.Best Song (Give Me All Your Luvin’)
4.Best Album (MDNA)
5.Best Live Act
6.Best Video (Give Me All Your Luvin’)

Para votar basta clicar no link abaixo:
http://www.worldmusicawards.com/index.php/vote/

Veja ao vídeo promocional da premiação

Madonna MDNA Tour SP Soundcheck: fotos e vídeos

Madonna

Aqui está um vídeo exclusivo da passagem de som de Madonna no dia 05 de dezembro no estádio do Morumbi. Madonna ensaia “Express Yourself” + “Give All Your Luvin'”. Veja também algumas fotos.

Fotos (clique nas imagens para ampliá-las)

Madonna emplaca a maior audiência americana e entra para o Guinness Book

Madonna - Super Bowl 2012

Madonna novamente no Guinness Book. Na edição 2013, a apresentação da rainha do pop no Super Bowl half-time show teve a maior audiência da história da TV americana com 114 milhões de telespectadores em fevereiro.

Madonna apresentou, na ocasião, o novo single “Give Me All Your Luvin'”, além dos hits “Vogue”, “Music” e “Like A Prayer”.

Madonna, em seus 54 anos de idade, abraça mais de 20 recordes mundiais, incluindo o de tournê feminina mais rentável da história (Sticky & Sweet Tour) e a de cantora que mais vendeu discos em toda história da música, além do livro infantil (As Rosas Inglesas) mais vendido em menos tempo e a de artista mais bem paga do showbiz.

Além de Madonna, Adele também entra no livro com o álbum 21 e o single “Rolling In The Deep”. Ela tem o mais vendido single digital nos Estados Unidos e Reino Unido (Rolling…) e álbum digital mais vendido com o “21” também nos Estados Unidos e Reino Unido.

Vamos rever a apresentação de Madonna no Super Bowl?

“Turn Up The Radio”, de Madonna, chega ao 3º na Billboard

Em sua quarta semana no chart da Billboard Club Play, o novo single do álbum MDNA, de Madonna, “Turn Up The Radio” subiu do #8 para o #3 lugar. Este é seu 57º single Top 10.

Trajetória: 39-19-8-3

CHART

TW LW Title Artist Label/Dist Label
*1 *2 Dark Side Kelly Clarkson 19 / RCA
*2 *3 Spectrum Zedd Featuring Matthew Koma Interscope
*3 *G8 Turn Up The Radio Madonna Live Nation / Interscope
*4 *9 Scream Usher RCA
5 *1 Goin’ In Jennifer Lopez Featuring Flo Rida Island / IDJMG
*G6 *18 Let’s Have A Kiki Scissor Sisters Casablanca
*7 *10 Never Close Our Eyes Adam Lambert 19 / RCA
*8 *14 Spectrum (Say My Name) Florence + The Machine Universal Republic
9 5 Timebomb Kylie Minogue Parlophone/Astralwerks / Capitol
10 7 Wide Awake Katy Perry Capitol
*11 *13 Sex Is In The Heel Cyndi Lauper Pulsar / Megaforce
*12 *15 You’re Gonna Love Again NERVO Astralwerks / Capitol
13 12 Don’t Wake Me Up Chris Brown RCA
14 4 Silhouettes Avicii Featuring Salem Al Fakir Levels/Veratone/Atom Empire / Interscope
*15 *20 Allein Eric Prydz Astralwerks / Capitol
16 6 Big Hoops (Bigger The Better) Nelly Furtado Mosley / Interscope
17 16 Only The Horses Scissor Sisters Casablanca
*18 *25 I Can Only Imagine David Guetta Featuring Chris Brown & Lil Wayne What A Music/Astralwerks / Capitol
*19 *24 When It Feels This Good Richard Vission Vs. Luciana Solmatic
*20 *27 All Stars Blush Far West
21 *22 Long Time John De Sohn Featuring Andreas Moe Epic
22 19 Perfect World Gossip Columbia
23 17 U Make Me Wanna Eddie Amador & Kimberly Cole Featuring Garza Big Beat / Atlantic
24 21 See U Move Sted-E & Hybrid Heights Featuring Mr. V Sea To Sun
*25 *31 Nothing’s Real But Love Rebecca Ferguson SYCO / Columbia
26 *30 Still Getting Younger Wynter Gordon Big Beat / Atlantic
27 23 Best Song Everrr Wallpaper. Epic
*28 *P36 Hello Karmin Epic
*29 *33 Let’s Get It Started (Tonight) Adriana Rubiano Phatt Boi

O EP de “Turn Up The Radio”, lançado na terça-feira, 7, inclui os seguintes remixes:

Turn Up The Radio – Offer Nissim Remix
Turn Up The Radio – Martin Solveig Club Mix
Turn Up The Radio – R3hab Remix
Turn Up The Radio – Madonna vs. Laidback Luke (feat. Far East Movement)

Neste momento, no iTunes, veja como ele está:

Turn Up the Radio (EP)
#8 Finland
#9 Greece
#9 Spain
#10 Poland
#13 Costa Rica
#15 Brazil
#17 Guatemala
#18 Argentina
#21 Colombia
#27 Netherlands
#28 Mexico
#29 Nicaragua
#33 Canada
#39 Peru
#50 Slovakia
#53 United States
#57 Sweden
#59 Panama
#62 Italy
#65 Malaysia
#78 Belgium
#79 Switzerland
#94 France
#104 Hong Kong
#121 Honduras
#123 United Kingdom
#133 Singapore
#152 Taiwan
#157 Thailand
#172 Japan
#173 Bulgaria
#175 Australia
#178 Denmark
#189 Czech Republic
#218 Chile
#220 Philippines
#278 Venezuela

Turn Up the Radio (Música)
#38 Spain
#45 Brazil
#108 Spain
#136 El Salvador
#155 Estonia
#171 Argentina
#175 Italy
#248 Netherlands
#290 Costa Rica
#293 Slovakia
#296 Mexico
#337 Peru
#348 Malta
#397 Canada

Girl Gone Wild (Música)
#38 Lithuania
#55 Italy
#66 Poland
#66 Slovakia
#110 Brazil
#113 Estonia
#116 Hungary
#151 Finland
#196 Spain
#253 Panama
#263 Costa Rica
#279 Argentina
#356 Belgium
#368 Sweden
#380 Colombia
#385 France
#387 Venezuela
#394 Bolivia

Give Me All Your Luvin’ (Música)
#117 Dominican Republic
#153 Argentina
#180 Slovakia
#181 Czech Republic
#192 Portugal
#207 Hungary
#265 Venezuela
#343 Poland
#370 Spain
#386 Cyprus
#399 Bolivia
#400 Brazil

MDNA
#4 Finland
#5 Finland
#20 Hungary
#31 Colombia
#40 Venezuela
#46 Slovakia
#52 Argentina
#58 Poland
#60 Panama
#62 Romania
#63 Guatemala
#74 Norway
#75 Costa Rica
#81 Czech Republic
#84 Brazil
#89 Spain
#110 Bolivia
#124 Poland
#129 Chile
#139 Lithuania
#149 Cyprus
#149 Malta
#149 Nicaragua
#155 Malta
#156 Netherlands
#163 Switzerland
#164 Bulgaria
#165 Bulgaria
#167 Latvia
#185 Paraguay
#186 Greece
#200 Honduras
#207 Estonia
#212 Canada
#220 Sweden
#230 Peru
#234 Hong Kong
#248 Belgium
#251 Denmark
#256 Mexico
#293 El Salvador
#299 Dominican Republic
#299 Singapore
#325 Italy
#344 Taiwan
#353 Portugal
#357 Ecuador
#398 Luxembourg

Celebration (álbum)
#20 Bulgaria
#32 France
#38 Slovakia
#43 Bolivia
#45 Finland
#73 Czech Republic
#78 Philippines
#86 Poland
#88 Greece
#102 Romania
#105 Thailand
#106 Hungary
#106 Portugal
#115 Argentina
#151 Italy
#156 Hong Kong
#160 Philippines
#162 Poland
#168 Luxembourg
#171 Colombia
#176 Italy
#193 Spain
#195 Colombia
#200 Netherlands
#203 Sweden
#206 Lithuania
#219 Cyprus
#232 Denmark
#236 Malta
#246 Singapore
#248 Paraguay
#261 Malaysia
#269 Latvia
#282 Estonia
#296 Taiwan
#305 Peru
#332 Costa Rica
#334 Norway
#355 United Kingdom
#357 Nicaragua
#359 Chile
#369 El Salvador
#372 Honduras
#394 Ireland

Hard Candy
#89 Greece
#116 Finland
#119 Portugal
#175 Luxembourg
#200 Sweden
#350 Norway

Confessions On a Dance Floor
#172 Norway
#173 Finland
#174 Greece
#189 Sweden
#196 El Salvador
#236 Luxembourg
#262 Hungary
#339 Czech Republic
#351 Portugal