Arquivo da categoria: Cinema

Adé, o filme de Madonna: uma estória de amor que encontrou sua escritora

madonna novo filme adé do livro de Rebecca Walker

De acordo com a revista The Hollywood Reporter, a diretora e roteirista Dianne Houston assinou um contrato para adaptar a autobiografia de Rebecca Walker para as telonas, marcando o próximo trabalho de direção de Madonna.

O filme é centrado em uma estudante americana de 19 anos, criada em um lar cristão e judeu, que viaja à África e se apaixona por um jovem muçulmano em uma ilha na costa do Quênia. Rapidamente, eles planejam se casar. Porém, os planos caem por terra devido a forças culturais e políticas. Walker, que também veio de um lar cristão-judeu, é filha de Alice Walker, autora de A Cor Púrpura.

Bruce Cohen, Jessica Leventhal e Walker serão os produtores. A agência de talentos CAA, que representa Madonna, levará o projeto a financiadores nas próximas semanas.

Adé será o próximo trabalho de Madonna, após o romance de época W.E., lançado pelos estúdios The Weinstein Company em 2011. O livro foi publicado em 2013 pela editora Little A Imprint, da Amazon.

Houston, que possui um projeto com a rapper Missy Elliott em andamento, porém sem título, é representada pela agência Kaplan-Stahler.

Madonna na direção do filme Adé: A Love Story

madonna dirigindo filme Adé A Love Story

Apesar das críticas e do fracasso comercial de seu último filme, “W.E.“, Madonna irá voltar à direção de cinema com Adé: A Love Story, uma adaptação do romance homônimo de Rebecca Walker.

Walker, filha da autora de A Cor Púrpura, Alice Walker, publicou o romance no ano passado. A história é sobre um casal de estudantes americanos em viagem no Quênia, sendo que um deles se apaixona por um nativo, Adé – ela adota um nome árabe e tenta se adaptar à nova vida em um ambiente desconhecido, antes de enfrentar diferenças culturais com a visita do casal aos EUA. Psicólogos de plantão talvez tracem um paralelo com a vida de Madonna: a cantora se mudou para o Reino Unido para morar com o marido cineasta Guy Ritchie, antes de se divorciarem. Ela também viveu um romance tropical no filme “Destino Insólito”.

O filme será produzido por Bruce Cohen, um dos produtores do bem-sucedido filme “O Lado Bom Da Vida”, de David O’ Russell. Um roteirista está sendo procurado para adaptar o romance, que será o terceiro filme de Madonna, depois de “Sujos e Sábios” em 2008, e “W.E”. em 2011, que explorou a vida de Wallis Simpson, juntamente com a de uma pesquisadora contemporânea que mergulhou na verdade do romance de Simpson com o rei Eduardo VIII.

O filme foi duramente criticado. Peter Bradshaw, do jornal The Guardian, o chamou de “um desmaio longo, sem humor e necrofílico frente ao suposto glamour tragi-romântico dos Windsors”. O filme rendeu menos de 1 milhão de dólares em todo o mundo.

Aos 55 anos, Madonna continua a super estrela cultural que sempre foi. Juntamente com seus projetos cinematográficos, ela também lançou um curta-metragem através do BitTorrent no ano passado chamado secretprojectrevolution, além de seu mais recente álbum MDNA em 2012, e sua turnê subsequente, que a ajudaram a ser a artista que mais rendeu em 2013, segundo a Forbes.

Em fevereiro, ela anunciou, na inauguração de uma nova academia Hard Candy Fitness, que começara a produzir um novo álbum. Ela apresentou uma versão emocionante de “Open Your Heart” nos prêmios Grammy deste ano, com 33 casais celebrando a união no palco durante a performance de Macklemore e Ryan Lewis, e também cantou no Acústico MTV Miley Cyrus.

Na semana passada, ela lançou sua grife de cosméticos “MDNA Skin” no Japão, com um vídeo promocional, que lembra a obscenidade monocromática da era Sex, nos anos 90: “Ter uma boa pele é importante pra mim. Assim como outras coisas, como a criação”.

Só esperamos que este projeto não atrapalhe na produção e depois divulgação do novo álbum!

Madonna pode dirigir episódio de série sobre os “Dez Mandamentos”

Madonna está cotada para dirigir um episódio de uma série sobre “Os Dez Mandamentos”. Quem disse isso foi o produtor de cinema Harvey Weinstein ao jornal americano “The New York Times”. A série terá dez episódios, um para cada mandamento.

Dentre os outros diretores convidados, estarão, além de Madonna, Lee Daniels, Ryan Coogler e Wes Craven. Weinstein, que produziu o último trabalho da popstar como diretora, o filme “W.E.”, além de outros grandes sucessos do cinema como “Chicago”, “Kill Bill” e “O Senhor dos Aneis”, pretende criar uma divisão em sua empresa especializada em produções para a TV. “A maneira que encontramos de acrescentar estabilidade à companhia hoje em dia e investir em produções televisivas”, disse Weinstein, que pretende criar em sua empresa uma divisão de TV “tão poderosa quanto a cinematográfica”.

Além de “Os Dez Mandamentos”, Weinstein planeja uma série de detetives, também com dez episódios e ambientada no Egito antigo chamada “Book of the Dead” (O Livro dos Mortos, em tradução livre). Há planos para filmar também “Marco Polo”, uma série de artes marciais para o Netflix; “Guerra e Paz”, uma série de 14 episódios baseada no livro de Leon Tolstoi sobre as guerras napoleônicas que será produzida em parceira com a BBC e, ainda, “Stan e Ollie”, sobre os últimos dias da dupla de atores Stan Laurel e Oliver Hardy, mais conhecidos como O Gordo e o Magro, também para a BBC.

Lançamento ‘.W.E.’ no Japão: ‘W.E.’: Madonna leva estória de amor real além do limite

Por KAORI SHOJI

Ame-a ou não, um fator admirável sobre Madonna é que ela nunca deixou de ser a Material Girl. Ela faz isso aos 54 anos e, provavelmente, vai continuar aos 84. Desta forma, ela pode sentir uma colega Material Girl a milhares de quilômetros de distância e até mesmo em outro século. Você pode quase sentir as duas trocando grandes sorrisos e um bom abraço, em algum lugar do mundo Material. “W.E.” é a culminância desse abraço: o segundo filme de Madonna (seguindo o desastroso Filth And Wisdom, de 2008), está centrado em Wallis Simpson, que foi Duquesa de Windsor, na Inglaterra pós-guerra.

“Sra. Simpson” para o mundo e “Wally” para os amigos próximos, a divorciada americana flertou com Edward VIII, Rei da Inglaterra – e lançou um feitiço. O rei estava tão gamado que abdicou o trono para se casar com ela, e mexeu com o mundo num discurso público, no qual falou: “Descobri ser impossível carregar o pesado fardo da responsabilidade e exercer meus deveres de Rei sem o amor e apoio da mulher que amo”.

Algum dia ele se arrependeu? Algum dia eles discutiram e começaram a se odiar? “W.E.” não se interessa em buscar mais informações ou destacar qualquer esforço. E por que se importar? Há apenas uma ambição adequada a uma Material Girl, que é se manter suspensa numa eterna bolha de adoração. Madonna mirou em Simpson como uma que conseguiu este feito, e sua homenagem é sincera.

“W.E.” está melhorado principalmente pelo visual e atitude aristocratas de Andrea Riseborough, como Simpson, e a química dela com James D’Arcy, como o Rei. Há um momento quando o (ainda secreto) casal está num jantar formal. Ele acidentalmente rasga a bainha do vestido dela debaixo da cadeira e ela o repreende com um lento e arrastado “David!”. Este era o apelido secreto do Rei Edward, usado apenas em sua família. Com a declaração do nome, a verdade do relacionamento deles voou como uma pomba da cartola de um mágico. Cabeças viraram, olhos arregalaram-se. A respiração cortante de alguém fora do ângulo da câmera tem um efeito brilhante e prolongado.

Entretanto, a obsessão do Rei com Simpson é um conto comum e Madonna não agrega um novo valor ao monumento sagrado. Muitas cenas em “W.E.” parecem um clipe antigo da MTV – veja a cena da praia, na qual Simpson e Edward brincam em trajes de banho extremamente elegantes, com seus corpos rolando na areia e cobertos pela maré. Riseborough poderia ser substituído por Madonna e nem seria notada.

Mas não, Madonna fica atrás da câmera, como se não conseguisse interpretar uma mulher que ela talvez considere um alter-ego. A Rainha Material Girl pode ter conquistado o mundo, mas mesmo Madonna nunca conseguiu fazer um Rei largar seu trono (embora possamos sempre esperar que o ex-marido Guy Ritchie deixe de ser um diretor).

“W.E.” dá certo quando é apenas Simpson e Edward olham um pro outro, mas afunda pela trama secundária de uma semi-heroína fictícia chamada Wally Winthrop (Abbie Cornish). Com o mesmo nome da glamurosa Simpson, Wally é uma triste dona de casa de Manhattan em 1998, constantemente violentada por um marido arrogante e que sonha em ter um romance. Ela assombra Sotheby em tardes chuvosas, suspirando pela Coleção Windsor de cristais, vidros e joias, e reside no enorme abismo entre ela e sua xará.

Lá, Wally chama a atenção de um segurança russo, Evgeni (Oscar Isaac), e eles se dão bem de imediato. A relação deles (altamente sexual) segue paralelamente com a estória de amor mais elegante de Simpson e Edward, mas eu digo, é um grande intervalo. E, num ato errôneo, Madonna se estende no tempo, na distância e na circunstância, tudo para fazer as duas mulheres – Wallis e Wally – se encontrarem e conversarem sobre coisas de garotas. De acordo com a história, isso seria muito improvável. A verdadeira Simpson era esnobe, uma cruel ascendente social, que pensava tão democraticamente quando Maria Antonieta. “Deixe-os comer bolo e ficarem obesos”, era o que ela pensava das massas. Ela mesma vivia de champanhe e mantinha um compromisso eterno de permanecer magra (Edward e ela também simpatizavam com os Nazistas, mas o filme ignora isso).

Após a paixão, o escândalo e o sentimento de excitação fugitiva “nós contra eles”, o que manteve o casal unido num casamento de 35 anos? O filme sugere que foi o senso de personalidade de Simpson, pois, por mais que ela estivesse aos olhos do público, ela nunca o perdeu. Sem dúvida, Madonna consegue se associar a isso.

Japan Times

Como começou a amizade de Madonna e Rosie O’Donnel

Madonna

Madonna e Rosie O’Donnell se tornaram as melhores amigas ao fazer o filme de 1992 “Uma Equipe Muito Especial” e têm muito a agradecer a diretora do filme – porque Marshall descobriu Ro e Mo, como ela as chamava, e que seria uma boa influência uma sobre a outra.

O cineasta lembra, “Eu disse, ‘Madonna, você deve manter Rosie longe de comida e Rosie, você ensinar Madonna a jogar bola.”

Marshall também aconselhou para que Madonna relaxasse seu regime de trabalho fora do set, pois ela estava muito cansada.

Penny Marshall acrescenta: “ela estava em perfeita forma e aí trouxe um treinador com ela e eu disse para que parasse pois mulheres dos anos 40 não tinham braços musculosos.”

Donos dos direitos da marca Brando querem US$ 300.000 de Madonna

De acordo com o Hollywood Reporter, os proprietários dos direitos do ator Marlon Brando querem processar Madonna por cantar “Vogue” no MDNA TOUR. Eles querem mais dinheiro.

Acontece que quando Madonna está em tour, como no caso do MDNA Tour, ela tem que pagar para usar o nome de cada celebridade citada em suas músicas, e “Vogue” não sai nada barato para a rainha do pop. Por exemplo, quando Madonna cantou “Vogue” no Super Bowl em fevereiro passado, ela pagou $3,750 para a empresa que cuida de tudo relacionado a James Dean, Jean Harlow, Ginger Rogers, Bette Davis, Lana Turner, Greta Garbo, Marlene Dietrich, Gene Kelly, Grace Kelly e Joe DiMaggio.

Não é um caso de Brando, falecido em 1994, que é agenciado pela a CMG Worldwide, empresa com sede em Indiana que gerencia os direitos de propriedade intelectual de muitas estrelas já falecidas. Então, eles negociaram com Brando Enterprises um acordo para que que fosse pago os mesmos $3.750.

Em maio, CMG negociou com a empresa que Bhakti Touring Inc. para os shows da tour de Madonna MDNA uma taxa de US $5.000 como direitos de publicidade. Ou seja, US$ 5.000 pelos direitos para ela cantar a música completa durante toda a tournê. Foi pago.

Na última semana de maio, os detentores dos bens de Marlon Brando supostamente decidiram mudar os termos do acordo e exigiram US$ 20.000. Como existe uma cláusula que cada estrela receberia a mesma quantia, a quantia que Madonna teria que pagar por “Vogue” seria de, no total, cerca de 200.000 dólares, em vez de cerca de US $40.000.

Em julho, a CMG silenciosamente entrou com uma ação no estado de Indiana tribunal, alegando que a Brand Sense Partners (BSP) descumpriu um contrato válido e aplicável.

Na quarta-feira, Brando Enterprises teve o processo removido para a corte federal de Indianapolis, uma vez que os artistas são de estados diferentes.

De acordo com os arquivos que representam o litígio a um juiz federal, “apesar do fato da autora pedir ao tribunal para pagar os direitos cedidos da marca registrada “Brando” por meros US $ 5.000 dólares, o verdadeiro valor dos direitos nesse litígio passam de trezentos mil dólares (US $ 300.000),” uma vez que Madonna vem usando a marca “Brando” durante cerca de 90 concertos diferentes.

Blu-ray “Uma Equipe Muito Especial, com Madonna, dia 16 de outubro

Outro Madonna clássico será lançado em High Definition. Trata-se do blu-ray de “A League of Their Own (Uma Equipe Muito Especial)“,comemorando o 20º aniversário do filme com lançamento no dia 16 de outubro.

O filme foi dirigido por Penny Marshall e tem no elenco Tom Hanks, Geena Davis and Madonna e resolução de a 1080p e 2.40:1 de aspect ratio.

English language (DTS-HD Master Audio 5.1) e subtítulos em francês, alemão, japonês, alemão e espanhol.

Clique na imagem para ampliá-la.
Documentário

“Masterpiece”, de Madonna, é indicado ao World Soundtrack Awards 2012

Madonna "Masterpiece" indicado ao prêmio no World Soundtrack Awards 2012

Madonna foi indicada a mais um prêmio com a música do álbum MDNA,“Masterpiece“, composta para o filme dirigido e produzido por ela, “W.E”. “Masterpiece” foi indicado ao prêmio de “Melhor Canção Original” no World Soundtrack Awards 2012, que acontece na Bélgica.

Eis os indicados à categoria “Best Original Song Written Directly For A Film”:

  • Breath Of Life from ” Snow White And The Huntsman” – music & lyrics by Florence Welch & Isabella Summers, performed by Florence + the Machine
  • The Living Proof from “The Help” – music & lyrics by Thomas Newman, Mary J. Blige, Harvey Mason Jr. & Damon Thomas, performed by Mary J. Blige
  • Man Or Muppet from “The Muppets” – music & Lyrics by Bret McKenzie, performed by Jason Segel and Walter
  • Masterpiece from “W.E.” – music & lyrics by Madonna, Julie Frost & Jimmy Harry, performed by Madonna

A premiação acontece no dia 20 de Outubro de 2012.

Madonna já ganhou um Globo de Ouro na categoria de Melhor Música Original com “Masterpiece” em janeiro deste ano.

Filme de Madonna, “Uma Equipe Muito Especial”, será lançado em blu-ray

Filme "Uma Equipe Muito Especial", com Madonna, em Blu-ray

Mais um filme de Madonna será lançado em blu-ray. Trata-se do filme “Uma Equipe Muito Especial” (A League of Their Own), no dia 16 de outubro, pela Sony Pictures.

O blu-ray do filme trás como bônus:

– Comentário de Penny Marshall, Lori Petty, Megan Cavanagh e Tracy Reiner
– Cenas deletadasDeleted scenes with video introductions by Penny Marshall
– Pré jogo com esses 9 Innings Memoráveis (Inning é um dos tempos da jogada de baseball).
Madonna “This Used to Be My Playground” clipe

Mais informações
Vídeo Codec: TBA
Resolução de vídeo: 1080p
Relação de aspecto original: 2.39:1

Áudio:
Inglês: DTS-HD Master Audio 5.1

Legendas:
Inglês, francês, espanhol, japonês, alemão, dinamarquês, finlandês, hindu, norueguês, sueco, turco

Discos:
Blu-ray Disc
Único disco (1 BD)

Sem informações ainda para lançamento no Brasil.

Assista ao clipe de Madonna “This Used To Be My Playground”

Entrevista de Madonna em promoção ao filme W.E. na Austrália

Madonna - W.E. Cartaz UKE a promoção do novo filme de Madonna, W.E., continua. Com o lançamento do filme na Austrália, o canal australiano Ten exibiu na manhã desta sexta-feira, 04, uma entrevista de Madonna com Andrew Günsberg. A entrevista foi exibida no programa matinal “The Project”.

Assista a entrevista