Arquivo da tag: Gay

25 anos da tour Blond Ambition, de Madonna, e seu poder

madonna blond ambition tour

Madonna iniciou a turnê Blond Ambition no dia 13 de abril de 1990, completando 25 anos nesta semana. Além de oferecer ao mundo um auge absoluto – como artista e centro das atenções –, o show mudou o panorama da cultura Pop.

Fãs podem se surpreender ao saberem que não foi a turnê mais rentável de Madonna: a Sticky & Sweet, MDNA e The Girlie Show foram melhores. E mais, só teve 57 apresentações, mas continua relevante até hoje e pode ter sido a mais importante para definir Madonna como ícone musical. Eis 25 razões para isso.

1. Foi a reinvenção do show de turnê;
Hoje, a maioria das turnês são produções em larga escala, com trocas de figurino, efeitos especiais, cenários elaborados e um quê de drama que eleva a experiência a algo mais do que apenas alguém com um microfone. No entanto, nem sempre foi assim. Madonna e o coreógrafo Vincent Patterson mudaram completamente os concertos.

Patterson explicou à revista People em uma entrevista de 1990: “O que mais tentamos fazer foi mudar o formato dos shows. Ao invés de apenas apresentar músicas, queríamos combinar moda, Broadway, Rock e arte performática”.

Continue lendo 25 anos da tour Blond Ambition, de Madonna, e seu poder

Madonna, a cantora de casamentos, se apresenta enquanto 33 casais gays e héteros se unem no Grammy…e Katy Perry pega o buquê

Madonna no Grammy 2014

Madonna cantou Open Your Heart no Grammy ontem (26/01), após Queen Latifah oficializar o grande casamento de 33 casais gays e héteros, durante a performance de Macklemore & Ryan Lewis para Same Love, que se tornou hino de igualdade matrimonial. A própria irmã de Lewis, Laura, estava no casamento.

Em uma reviravolta chocante, a popstar Katy Perry pegou o buquê jogado ao público. Sem dúvida, rumores quentes do casamento dela com John Mayer.

Com um vestido de noite brilhante, Queen Latifah estava radiante, ao apresentar a dupla no Staples Center, em Los Angeles. O palco estava decorado com luzes neon que ecoaram arquitetura, e vitrais manchados, comumente vistos em igrejas.

Macklemore vestiu um terno de veludo com gravata, juntamente com a vocalista Mary Lambert, usando um longo e brilhante vestido vermelho, que se apresentou com ele, assim como Trombone Shorty. O produtor Ryan Lewis se manteve introspectivo, no fundo do palco.

Queen Latifah atuou como sacerdotisa dos casais durante a performance. Eles ficaram de pé em plataformas longe do palco, em uma variedade de trajes formais e casuais, enquanto trocavam alianças.


Um dos casais incluiu Spencer Stout e Dustin Reeser, cujo pedido de casamento se tornou viral. Eles planejam uma cerimônia ao longo da semana para familiares e amigos.

Madonna logo se uniu aos artistas no palco, cantando Open Your Heart. Os casais dançaram com a música, enquanto um coral gospel cantava.

Os recém-casados andavam pelo salão, saindo do palco, quando Mary Lambert se juntou a Madonna para um dueto. O cantor country Keith Urban também foi visto com lágrimas nos olhos durante a performance.

Celebridades-fãs da performance incluíam Neil Patrick Harris e Ellen DeGeneres no Twitter. Patrick Harris escreveu: “Meu rosto doi de tanto sorrir. Essa foi uma das coisas mais legais que já pude ver. Muito, muito amor. Muito bem, Grammy!”.

DeGeneres tuitou: “#SameLove foi incrível. Amor para @Macklemore, @RyanLewis, @MaryLambertSing, @Madonna & @IAmQueenLatifah por uma linda performance no #GRAMMY”.

Outros usuários do Twitter expressaram seu apoio. Um deles escreveu: “Jamais deixaria de contar às pessoas que Beyoncé e Jay-Z estiveram em meu casamento. #GRAMMY”.

Outros criticaram a performance. Antes do evento, Billy Hallowell, do site de notícias TheBlaze, tuitou: “Por que o evento não pode ser apenas sobre a música? Cansado de mensagens políticas e sociais sendo derramadas em tudo”.

O especialista conservador Todd Starnes, que já apareceu na Fox News, também tuitou: “O Grammy vai tirar sarro dos casamentos hoje à noite”. Uma reportagem anterior do New York Times anunciou que 34 casais gays, héteros e interraciais – incluindo a irmã de Lewis e o namorado dela – trocariam votos.

Para Macklemore & Ryan Lewis, cuja música Same Love concorria a Música do Ano, o evento se tornou pessoal com a participação da irmã Laura, que casou com o namorado durante a cerimônia. “Uma noite que já é tremenda para mim, para a música”, o Times citou, “mas ter minha irmã se casando e minha família aqui assistindo – isso torna tudo mais incrível ainda”.

Lewis também disse que os casamentos “serão em nossas mentes a maior afirmação de igualdade, que todos os casais têm direito à mesma coisa”.

O ensaio do casamento aconteceu no sábado, quando os casais caminharam pelo salão próximo ao palco. O produtor Ken Ehrlich afirmou que levar os casais ao palco “poderia ser visto como muita exploração”. “Pareceria menos ‘show’ do que se eu os levasse ao palco”, Ehrlich explicou. “Não quero que eles se sintam em uma parada gay”, ele contou ao The New York Times.

A ideia dos casamentos surgiu na primavera passada, quando o Sr. Ehrlich sentou com Macklemore & Ryan Lewis para almoçar e ter ideias de uma possível performance. Sabendo que os shows deles já apresentavam pedidos de casamento no palco, o Sr. Ehrlich sugeriu levar à frente com um casamento completo.

A banda adorou a ideia, então uma agência foi contratada para achar os casais, que, primeiramente, souberam que a cerimônia estaria ao vivo na TV. Os casais assinaram acordos de confidencialidade, prometendo não contar nem às famílias.

Defendendo a montagem do multi-casamento dos críticos contra a cerimônia no Grammy, o presidente da National Academy of Recording Arts and Sciences, Neil Portnoy, afirmou: “Espero que pessoas com todos os tipos de opiniões as expressem, isso é saudável, mas não precisamos nos rebaixar ao ponto de tentar fazer truques e abordagens sensacionalistas no que fazemos”.

Antes do evento, o grupo venceu as categorias de Artista Revelação, Melhor Álbum de Rap, Melhor Performance de Rap, e Melhor Canção de Rap.

Assista ao vídeo da apresentação:

VEJA FOTOS DE MADONNA NA PREMIAÇÃO EM NOSSO FACEBOOK

Segundo a Forbes, Madonna coloca mansão à venda por US$ 22,5 milhões

Madonna quer dinheiro em caixa, mais, é o que diz a revista Forbes. Madonna colocou à venda por US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 45,9 milhões) sua mansão em Beverly Hills, nos EUA. A cantora já havia tentado vender a casa por US$ 28 milhões em 2012, sem sucesso, segundo a revista.

madonna-mansao-eua

Segundo a revista, a descrição da mansão no site da empresa diz que há 9 quartos e cerca de 1.580 metros quadrados. Duas salas de estar, duas salas de jantar, academia, quadra de tênis e piscina também fazem parte da propriedade. “Madonna comprou a mansão por US$ 12 milhões em 2003, após se casar com Guy Ritchie, e fez uma transformação completa no imóvel. Ela colocou recentemente um apartamento em Nova York por US$ 23,5 milhões (que comprou na época em que era casada com Sean Penn, nos anos 80), e é dona também de outro imóvel na cidade, além de uma casa de US$ 32 milhões, comprada em 2009″, disse o Zillow, repórter da revista.

Madonna tem a 2º fanbase GLBT mais poderosa

madonna-glbt-gayDe acordo com o  jornal  Metro Source, Madonna tem a 2ª Fanbase LGBT Mais Poderosa. Confira o Top 20:

1. Lady GaGa
2. Madonna
3. Kathy Griffin
4. Kylie Minogue
5. Joan Rivers
6. Ben Cohen
7. Dolly Parton
8. Britney Spears
9. Cher
10. Adam Lambert
11. John Waters
12. Nicki Minaj
13. Betty White
14. RuPaul
15. Margaret Cho
16. Liza Minnelli
17. Barbra Streisand
18. Judy Garland
19. David Beckham
20. Robyn

Madonna na corte russa dia 25 por defender causa gay

MadonnaA corte russa quer que Madonna dê uma pausa na agenda frenética da turnê ‘MDNA’ para participar de uma audiência no dia 25 deste mês. De acordo com o site Digital Spy, a cantora é acusada de ter feiro apologia à homossexualidade em um show recente em São Petersburgo, quando defendeu os direitos da comunidade LGBT do país.

Todo o problema está embasado em uma lei ‘anti-gay’ da cidade, aprovada em março, que proíbe a apologia a qualquer tipo de sexualidade que não seja a heterossexual. Por isso, a organização União dos Cidadãos Russos está movendo o processo contra Madonna. “Nós, moradores da capital cultural, sofremos um colossal dano moral”, alega um representante do grupo, que pede indenização de US$ 10 milhões pelos transtornos que a loura supostamente causou.

Por conta desta ação, Madonna já havia sido convocada a comparecer à corte no dia 11 de outubro, mas, como ela não apareceu, a audiência foi transferida para a próxima quinta-feira. Mal sabem os russos que a Rainha do Pop tem um show marcado em Houston, nos Estados Unidos, no mesmo dia e, bem, é pouco provável que ela vá desmarcá-lo para responder ao processo do outro lado do oceano.

Show de Madonna não decepciona “gay-friendly” em Phoenix

MadonnaSe você tinha suas dúvidas sobre a simpatia gay da área de Phoenix, sua opinião mudaria rapidamente se estivesse presente no concerto de Madonna na quarta-feira, 16 de outubro, no EUA Airways Center, no centro de Phoenix, Arizona.

O show de Madonna estava marcado para começar às 20:30, mas começou um pouco depois, em seguida ao DJ que tocou algumas músicas da rainha do pop. Sua atuação durou pouco mais de uma hora. A multidão irrompeu em aplausos logo após 22:20 quando a gigante cortina “Madonna” desceu revelando o palco por inteiro. As luzes da casa apagaram-se às 22:29 seguido de mais aplausos. Essa foi a deixa para Madonna subir ao palco às 22:30h, com um tema gótico / religioso. Uma luminária gigante para simbolizar incenso era empurrada para baixo bem na frente do público por “monges” vestidos de vermelho.

Lady Gaga fez uma aparição no show de Madonna. Logo após 23:00, Madonna desferiu um golpe contra Gaga enquanto cantava Respect Yourself (Nota do tradutor: na verdade é Express Yourself) intercalando com a letra de Born This Way, da Gaga.

Madonna deu o tom político depois de quase uma hora de show, quando declarou que Obama havia vencido o debate presidencial daquela noite.

Ela disse à multidão que amava até mesmo os republicanos. “Eu sou uma democrata. Mas eu amo você que não é (democrata), porque pregamos tolerância “, disse a diva.

Madonna também fez uma declaração dramática contra o bullying. Ela mostrou o nome AMANDA escrito nas costas. Ela explicou que foi em homenagem à menina canadense de 15 anos, Amanda Todd, que cometeu suicídio por causa de um bullying antigay sofrido pela jovem. A estrela também atacou o terrorismo. Mais tarde, mostrou slides de jovens que cometeram suicídio por serem gays.
Ainda fazendo alusão ao barulho político que causou na Rússia, a diva depois brincou com membros da audiência, “Conseguir um quarto de hotel para rapazes. Você pode até ser preso por isso na Rússia. “Mais tarde, ela acrescentou: “Não há demonstrações públicas de afeto entre os caras a menos que eu estou envolvida.”

Como ficou evidente no show de Madonna, Phoenix tem uma enorme população gay. Para o viajante gay, Phoenix é um dos segredos mais bem guardados dos EUA. A cidade tem de tudo. É claro, querido, que nós temos alguns dos melhores resorts do mundo. Além disso, Phoenix tem uma vida noturna LGBT vibrante e todas as atrações culturais de qualquer outra grande cidade. A Secretaria de turismo da cidade, aliás, mantém uma seção em seu site oficial para receber os visitantes gays.

A cidade também oferece algumas belezas naturais fora de seu centro urbano. Por exemplo, antes de participar do show de Madonna, este repórter foi para uma visita à um deserto a menos de uma hora fora da cidade com a empresa de turismo Green Zebra Adventures. Com os “Tom Cars”, desenvolvidos pelo exército israelense, o Green Zebra leva grupos em excursão de dois por carro sobre terreno acidentado, por aqueles cactos gigantes que você vê nos filmes e que são o símbolo do Arizona. O passeio também passa o Rio Verde, onde você provavelmente vai ver alguns dos mustangs selvagens que descem rio abaixo em busca de água fresca.

Para os viajantes homossexuais, Phoenix é rica em opções de hotéis. O mais gay-friendly é o Hotel Palomar (que tem como referência os Hotéis Kimpton em San Francisco) e fica do outro lado da rua do US Airways Center. Há rumores de que a diva se hospedou nesse hotel. Como é típico dos Hotéis Kimpton, a propriedade é de primeira e Madonna se acomodaria muito bem lá. O Hotel Palomar também está convenientemente localizado no centro da cidade, no bairro mais novo da cidade, o City Scape.

Se você não se importa de estar longe do centro da cidade, um dos resorts ao sudoeste mais exclusivos fica em Phoenix. O histórico do Arizona Biltmore Hotel Resort é onde alguns dos líderes mais poderosos do país se reuniram para ficar longe de tudo, enquanto desfrutavam do sol que fez Phoenix famosa. A propriedade também é muito gay friendly e tem um fiel público gay.
Se você não acha que pode obter uma boa dose de cultura em Phoenix, pense novamente. O Museu Heard localizado no centro mostra a cultura indígena americana. O mais novo museu de Phoenix é o Museu dos Instrumentos Musicais. Foi fundado pelo CEO (Chief Executive Officer) Bob Ulrich e abriu suas portas em abril de 2010.

Indo à Phoenix não deixe de visitar o centro de Tempe. Claro, Tempe é o lar da Arizona State University e sem dúvida a universidade ajuda a contribuir e muito com a vibrante vida local. A rua principal de Tempe é a Mill Street (Rua do Moinho), pois antes de ser uma cidade universitária, era uma cidade industrial. Agora é uma das cidades mais tranquilas do Arizona. Lojas de luxo, de moda e restaurantes pontilham seu centro. Você pode usar a linha de metrô a partir do centro da cidade de Phoenix para Tempe poucos minutos. Tempe claro, é também muito gay-friendly. Um se seus ex-prefeitos é Neil Giuliano, ainda mantém uma residência lá.

Vizinho a Scottsdale, é a casa do San Francisco Giants durante seu treinamento de primavera. Também é muito gay-friendly e é a casa do marco gay bar BS, que está no coração da cidade velha da cidade. Scottsdale é também a casa do popular Hotel Valley Ho e do famoso Scottsdale Fashion Square o shopping mais famoso do Arizona.

The Examiner

Não deu pra escapar: julgamento de Madonna na Rússia é marcado

Madonna

Madonna será julgada na Rússia no dia 11 de outubro. Ela é acusada de violar as leis do país ao fazer propaganda do homossexualismo durante um show da tour MDNA que ela realizou em São Petersburgo, em 9 de agosto. A por star também se apresentou em Moscou durante a permanência no país.

Madonna está sendo processada por um grupo de moradores daquela cidade que exige uma indenização de 333 milhões de rublos, aproximadamente US$ 11 milhões, a título de danos morais. Os advogados dos autores da ação indenizatória pediram ao tribunal para também incluir como réus os organizadores do concerto de Madonna por entender que eles estavam cientes de que a cantora iria agir contra a legislação russa.

#hipocrisiadefine

Madonna fecha etapa européia do MDNA Tour com ataques a Elton John, Marine Le Pen e Russia

Madonna fechou, na noite desta terça-feira, 21, com chave de ouro para 30 mil pessoas, o último show da etapa européia do MDNA Tour, em Nice, na França, antes de partir para os Estados Unidos. E como polêmica é também sinônimo de Madonna, digamos que este Madonna não foi nada complacente com muitos desafetos, a começar pelo cantor Elton John.

– Ela dedicou MASTERPIECE a Elton John. “Como eu sei que ele é um fã desta música, eu o perdoo.” Vale lembrar que Elton John segue atacando Madonna na imprensa desde que perdeu o Globo de Ouro de melhor canção para ela em janeiro…Madonna no show desta terça resolveu, finalmente, tirar com a cara do colega.

Em entrevista ao programa semanal Radio Times, o músico britânico Elton John chegou a recuar em seu ataque a Madonna, a quem chegou a chamar de “stripper de feira” há duas semanas. “Madonna pegou a indústria pelo pescoço, criou oportunidades para outras mulheres, como (Lady) Gaga e Katy Perry”, disse ele.

– No final de Human Nature e antes de Like A Virgin, falou sobre a Russia e pediu ao público para que gritasse com ela “Free Pussy Riot”.

– Mesmo com as ameaças da Frente Nacional, mesmo com os integrantes da FN no estádio, Madonna peitou e foi exibido o vídeo de Nobody Knows Me com Marine Le Pen de Hitler. A Frente Nacional exigiu que o vídeo fosse editado para o show em NICE e foram lá para conferir. Deram com os burros n’ água. Este show causou muita dor de cabeça para alguns líderes políticos de lá e a repercussão do caso Pussy Riot só aumenta.

Enquanto isso, a promotoria de São Petersburgo indicou, por outra parte, que recebeu 140 denúncias contra Madonna, apresentadas por cidadãos de forma individual, por seu apoio a comunidade gay no pais. A região de São Petesburgo adotou em fevereiro uma lei que pune penalmente qualquer ato público que promova homossexualidade e pedofilia, um texto denunciado por ativistas por equiparar gays a pedófilos.

Fim da história, sem declarações à imprensa através de um assessor. Ela mesmo está rebatendo e com força os ataques que vem sofrendo ultimamente. Governo russo queimado perante a mídia, partido Frente Nacional/Marine Le Pen detonados e Elton John finalmente teve seu castigo (bem Madonna, bem irônico). Alguém mais para a briga?

Será que este povo esqueceu do poder midiático que Madonna tem? Que para ela não existe NÃO? Que ela é a única artista em 30 anos que quebrou todas as barreiras e enfrentou todo mundo em defesa de suas idéias, e não será agora, aos 54 anos, que ela deixará de ser quem é?

VÍDEOS

Madonna: polêmica na França e nove processos na Rússia

Madonna

Se tem uma coisa que a nova tour de Madonna, o MDNA Tour, vem causando, além de histeria, é muita polêmica. Na França, os militantes da Frente Nacional (extrema-direita) cobriram os cartazes de Madonna com imagens de sua líder Marine Le Pen. O objetivo para protestar contra o clipe que foi exibido em shows anteriores em que a presidente da bancada aparece atrás de uma suástica, informou o próprio partido. Madonna fará uma apresentação em Nice na próxima terça-feira (21).

Na última madrugada, dezenas de militantes percorreram as ruas de Nice para substituir cerca de trinta cartazes da cantora pelos de Marine Le Pen, disse à AFP Gaël Nofri, responsável pelo grupo Bleu Marine-FN na cidade. “Nós não somos contra a liberdade de expressão, mas isso é um ato revisionista, um ataque contra um partido republicano e contra a sua candidata que teve 18% nas eleições presidenciais”, declarou Nofri.

Para Gaël Nofri, Madonna, que luta para “encher seus shows desesperadamente vazios”, tenta “criar uma dinâmica para fins puramente comerciais”. Mas ela esquece que, “Marine Le Pen representa um eleitor em cada quatro da Côte d’Azur”, disse Nofri.

Poucos dias após a estreia do vídeo em questão, durante o primeiro show da turnê mundial de Madonna em Tel Aviv, que aconteceu no dia 31 de maio, Marine Le Pen alertou para que a estrela não exibisse o clipe ameaçando revidar a ação.

Em 14 de julho, durante uma apresentação no Stade de France, a cantora decidiu exibir um novo vídeo no qual Le Pen aparecia com uma suástica na testa. A Frente Nacional apresentou uma queixa por injúria.

Já na RÚSSIA…

Nove processos reivindicando compensações financeiras superiores a US$ 10 milhões (R$ 20 milhões) foram apresentados contra Madonna em um tribunal de São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia, informou nesta sexta-feira (17) o advogado dos queixosos, Aleksander Pochuev. Os processos por “danos morais” também se estendem aos organizadores do show da rainha do pop na sexta-feira (10) passada na antiga capital russa, afirmou Pochuev em entrevista à agência oficial “RIA Novosti”.

Os queixosos, acrescentou, reivindicam compensações econômicas por causa do “forte sofrimento moral” causado por Madonna ao fazer “propaganda das uniões homossexuais” durante sua apresentação em São Petersburgo.

“Várias dessas pessoas estiveram no show, outras viram reportagens nos noticiários”, disse Pochuev. Madonna defendeu os direitos dos homossexuais em sua apresentação em São Petersburgo, cidade que aprovou uma lei punindo a propaganda homossexual entre menores de idade. “Queremos lutar pelo direito de ser livres. Viajei muito pelo mundo e vejo que as pessoas são cada vez mais intolerantes, mas podemos mudar isto. Temos a força para isso”, proclamou ao público a cantora americana. Madonna garantiu que “o amor” é a única coisa que pode mudar o mundo e pediu tolerância em relação as pessoas que têm uma orientação sexual não tradicional.