Arquivo da tag: Moscou

Madonna inaugura academia em Toronto e confirma novo álbum

madonna Hard Candy Fitness Toronto 2014Madonna esteve ontem em Toronto para inauguração de mais uma academia da rede “Hard Candy Fitness”. Vestida para impressionar, ela passou pelo tapete vermelho com 85 minutos de atraso, falou com os jornalistas e ainda comentou sobre seu novo álbum:

“Sim, já estamos trabalhando. Não me pergunte com quem. É um segredo.Top secret!”

Madonna disse que os artistas canadenses que mais escuta é Michael Bublé e Drake.

Madonna chegou acompanha de algumas pessoas que coordenam suas academias, incluindo sua personal trainer Nicole Winhoffer, 29, de Nova York, que desenvolveu o método de exercícios “Addicted to Sweat”, praticado por Madonna.

“Eu tenho que inspirá-la, manter sua mente ocupada. Ela fez todos os exercícios já conhecido pelo homem, então estou constantemente criando coisas novas para Madonna… O corpo dela é incrível, todo torneado e trabalhado.”

Hard Candy Fitness já tem estabelecimentos em Berlim e Roma, Sydney, Santiago, Cidade do México, Moscou e São Petersburgo.

Madonna e Pussy Riot falam sobre direitos humanos no Amnesty International

madonna pussy riot Amnesty International1

Ao invés de cantar, Madonna e Pussy Riot falaram sobre direitos humanos com emoção, em um show para Amnesty International na noite desta quarta-feira, 05.

Madonna contou à multidão que recebeu ameaças de morte do governo de Vladimir Putin por defender o grupo Pussy Riot durante o MDNA Tour, em 2012, uma banda punk de protestos, russa, quando duas integrantes foram presas por organizar um protesto em uma igreja russa em 2012.

“O direito de ser livre, de expressarmos nossas opiniões, de amarmos quem quisermos, de sermos quem somos – precisamos lutar por eles?”, o ícone pop disse, respondendo sua própria questão de forma enfática. “Sempre me considerei uma lutadora pela liberdade desde o início dos anos 80, quando percebi que tinha voz e podia cantar mais do que músicas sobre ser uma garota materialista ou se sentir como uma virgem. E definitivamente paguei e venho pagando por expressar minhas opiniões e por me intrometer neste tipo de discriminação. Mas tudo bem.”

madonna pussy riot Amnesty International2

No Barclays Center, no Brooklyn, Madonna apresentou Maria Alekhina e Nadezhda Tolokonnikova, postas em liberdade em dezembro, que fizeram sua primeira aparição pública nos EUA na última terça-feira. Um tradutor as ajudou no show Bringing Human Rights Home (“Trazendo os direitos humanos pra casa”), contando ao público que elas eram gratas por estarem livres, mas que continuariam lutando pra salvar outros presos.

Alekhina e Tolokonnikova, que vestiam camisas com desenhos de cruzes, agradeceram aos apoiadores por mandar cartas enquanto estiveram presas, e à Amnesty International por proteger os direitos humanos. “Obrigada a todos aqueles que foram corajosos e se preocuparam o bastante pra se expressar contra a injustiça e falar a verdade”, Alekhina disse.

O grupo de Moscou, que traz mais de 10 integrantes, tem criticado o presidente russo Vladimir Putin e as condições políticas de sua terra-natal. “A Rússia será livre!”, elas gritaram com a multidão antes de sair do palco.

Já que Madonna e Pussy Riot não cantaram, The Flaming Lips e Yoko Ono fecharam o evento de mais de quatro horas, enquanto a banda Imagine Dragons era a favorita da multidão com o sucesso vencedor do Grammy, Radioactive.

Lauryn Hill e Blondie foram ovacionadas ao subir ao palco. Hill começou o show – cada artista cantou três músicas – com Ready Or Not, da época do Fugees, enquanto Debbie Harry estava pegando fogo quando cantou One Way Or Another e Call Me.

O show também incluiu performances de Cake, The Fray, Bob Geldof, Tegan and Sara, Colbie Caillat e Cold War Kids. Foi o primeiro show da Amnesty International desde a série de shows Human Rights Concerts¸de 1986 a 1998, que trouxera U2, Bruce Springsteen, Sting e Peter Gabriel.

Não deu pra escapar: julgamento de Madonna na Rússia é marcado

Madonna

Madonna será julgada na Rússia no dia 11 de outubro. Ela é acusada de violar as leis do país ao fazer propaganda do homossexualismo durante um show da tour MDNA que ela realizou em São Petersburgo, em 9 de agosto. A por star também se apresentou em Moscou durante a permanência no país.

Madonna está sendo processada por um grupo de moradores daquela cidade que exige uma indenização de 333 milhões de rublos, aproximadamente US$ 11 milhões, a título de danos morais. Os advogados dos autores da ação indenizatória pediram ao tribunal para também incluir como réus os organizadores do concerto de Madonna por entender que eles estavam cientes de que a cantora iria agir contra a legislação russa.

#hipocrisiadefine

Em São Petersburgo, Madonna bate de frente contra lei antigays. Leia o discurso!

Madonna usou seu show do MDNA Tour desta quinta-feira em São Petersburgo, cidade natal do presidente Vladimir Putin, para declarar apoio aos direitos dos homossexuais, depois de ativistas apontarem como discriminatória uma lei local sancionada neste ano contra a “propaganda” gay.

Madonna se apresentou de lingerie preta, com as palavras “no fear” (Sem medo) escritas nas costas. Ela pediu à plateia – onde muita gente usava pulseiras rosas distribuídas na entrada – para “mostrarem seu amor e apreciação pela comunidade gay”. Eis o discurso de Madonna:

“Eu estou aqui para dizer a comunidade gay e os gays daqui e de todo o mundo que todos têm os mesmos direitos. Os mesmos direitos de serem tratados com dignidade, com respeito, com tolerância, com compaixão, com amor!

Sim, você está comigo? Se você está comigo, eu quero ver a sua pulseira rosa. Se você está comigo, levante o braço e mostrar seu amor e apreço pela comunidade gay!

Você está comigo?
Você está comigo? Eu disse, vocês estão comigo seus “filhos da puta”? Obrigado!

E isto é para as pessoas que estão citando a Bíblia e usando Deus como seu sistema de defesa: Jesus pregou isso, Maomé pregou isso, Buda pregou isso, Moisés pregou isso. É está em cada livro sagrado:

“Ama o teu próximo como a ti mesmo! Ok?

Então você não pode usar a religião para tratar as outras pessoas mal! Você não pode usar o nome de Deus para tratar mal ninguém pois ninguém é melhor ou pior que você. Nós todos merecemos amor. Então, vamos todos espalhar para o mundo esta mensagem de amor e viver a nossa vida sem medo! AMÉM.”

Logo após, fãs levantaram suas pulseiras:

Madonna em São Petersburgo defende a comunidade gay


Primeiro-ministro ataca Madonna no Twitter

Irritado, o vice-primeiro-ministro para a Defesa, Dmitri Rogozin, atacou Madonna no Twitter nesta quinta-feira: “Conforme fica velha, toda ex-p… tenta dar lição de moral nos outros, especialmente durante viagens ao exterior.”

Embora não tenha escrito a palavra completa, a imprensa russa disse não duvidar de que Rogozin quis dizer “puta”. A autoridade publicou um segundo tweet, também agressivo, sobre a cantora: “Ou tire sua cruz ou ponha sua calcinha.”

Madonna aproveitou seus dois shows na Rússia para expor suas opiniões sobre a situação atual do país.

O homossexualismo, punido com penas de prisão na União Soviética, foi descriminalizada na Rússia em 1993, mas grande parte da comunidade homossexual vivem às escondidas. Inúmeras tentativas de conter protestos gays em Moscou, considerada ilegal pelas autoridades, acabaram em prisões e em confrontos violentos com cristãos ortodoxos russos que dizem que os homossexuais devem ser punidos ou ter tratamento psiquiátrico.

“Vivemos com medo?” Madonna perguntou as seus fãs na noite de quinta-feira. “Não!” Foi a resposta. “Nós te amamos!” Gritaram alguns fãs, mas nem todos se emocionaram.

“Não se deve misturar show business com ativismo pelos direitos humanos”, disse o ativista dos direitos gays Yuri Gavrikov. Vários ativistas fizeram piquetes no local do show. “Se ela quisesse apoiar a comunidade LGBT, ela poderia ter cancelado seus shows na Rússia.”

Na terça-feira, em Moscou, ela disse que reza pela libertação das três integrantes da banda punk Pussy Riot, que correm o risco de serem condenadas a três anos de prisão por terem feito uma manifestação contra Putin no altar da principal catedral do país.

A lei que entrou em vigor em março em São Petersburgo pune com multa quem difundir “propaganda” homossexual que cause “danos ao desenvolvimento físico, moral ou espiritual” de menores.

Na sua página do Facebook, Madonna disse que a lei é uma “atrocidade ridícula”.

Leia na íntegra o emocionante discurso de Madonna em Moscou, na Rússia

Madonna MDNA Tour Moscou Russia Discurso

Em sua passagem por Moscou com o MDNA TOUR, na noite desta terça-feira, Madonna fez um discurso emocionante. Leia na íntegra:

“Obrigado a todos meus fãs aqui na Rússia que me apoiam através dos anos.
Eu não queria todo este amor de graça, então eu sou imensamente agradecida. E há um homem aqui na primeira fila, ele está vestindo uma camisa que diz “Sagarro Jo”. Sim, acho que ele tem indo em alguns shows. Quem já foi a um show antes sabe que existe uma música sobre a liberdade, certo? É uma canção sobre a luta pela liberdade. E eu queria dizer algumas palavras sobre isso.

Como você pode ver aqui no meu palco, todos comigo são de todo lugar diferente no mundo, da África, da América, da França, da Rússia, da Inglaterra. Nós somos cristãos, somos muçulmanos, nós somos judeus, nós somos tudo o que você pode imaginar. Mas nós somos uma família. Nós estamos juntos. Nós somos gays, somos héteros, somos seres humanos. E esta última “seres humanos” é o mais importante e, de fato, o único que devemos nos referir uns aos outros: seres humanos.

Agora, eu sou muito grata e eu muito sortuda porque eu venho de um país, os Estados Unidos, onde somos livres para nos expressar, expressar o nosso ponto de vista. Como um artista, como ser humano, como mulher, eu tenho a liberdade de expressar meu ponto de vista. Mesmo que outras pessoas não concordem comigo, mesmo que o meu governo não concorde comigo. Eu tenho o direito de expressar meu ponto de vista, eu tenho a liberdade de expressar meu ponto de vista. Isso é democracia, certo? E eu não tomo isso como garantido também. Eu só quero dizer algumas palavras sobre Pussy Riot.

Eu sou abençoada por ser de um país onde eu tenho o direito de expressar minha opinião, ok? Mas o meu sonho e minha oração é que todos no mundo tenham esse direito também. Não só aqui da Rússia, da França, do Irã… Como seres humanos, deveríamos ter o direito de expressar nossas opiniões e ainda ser tratados como seres humanos.

Agora, eu sei que existem muitos lados para cada história e eu quero fazer nenhum desrespeito com a igreja ou o governo, mas acho que essas 3 meninas – Mascha, Katja, Nadja – fizeram algo corajoso. Eu acho que elas pagaram o preço por este ato e rezo por sua liberdade. E eu sei que todos aqui no palco sente o mesmo e sei que todos neste estádio, e se meus fãs estão aqui, sei que eles merecem o direito de ser livre. Ok?

Então, para essas 3 meninas que estiveram na cadeia agora por 5 meses e que ainda estão lá, eu rezo pela sua liberdade, sei que todos oram por sua liberdade.
E vamos esperar que um dia, nós realmente vivamos em um mundo cheio de paz, liberdade e tolerância.”

Madonna enfrenta governo russo novamente nesta quinta-feira

Madonna em Moscow, MDNA Tour, Human Nature e Like A Virgin tatuagem

Com duas horas de atraso, Madonna fez mais um show de sua MDNA Tour, desta vez em Moscou, na Rússia. Madonna disse durante um show em Moscou que reza pela liberdade das integrantes da banda de punk Pussy Riot, que podem ser condenadas a três anos de prisão por terem feito uma “oração” contra o presidente russo. O emotivo pedido da cantora se soma ao de numerosas personalidades russas e estrangeiras que defendem as integrantes da banda e consideram as acusações e sua prisão provisória de cinco meses desproporcionais. “Sei que há vários lados de uma história”, declarou Madonna, considerando valente a atitude das jovens da Pussy Riot, no dia 21 de fevereiro na Catedral do Cristo Salvador de Moscou. “Como um artista, como um ser humano, como mulher, eu tenho liberdade para expressar meu ponto de vista, mesmo se outras pessoas não concordam comigo “, disse ela. “Mesmo que o meu governo não concorda comigo.”

Além do show desta terça-feira à noite em Moscou, Madonna fará outro na quinta-feira, em São Petersburgo. “As três meninas – Masha, Katia, Nadia – fizeram algo corajoso, mas me parece que já pagaram o preço, rezo pela liberdade delas“, disse Madonna, referindo-se a Nadejda Tolokonikova, de 22 anos, Yekaterina Samutsevich, de 29, e Maria Alejina, de 24, acusadas de vandalismo e de incitação ao ódio religioso, no show em Moscou antes de cantar MASTERPIECE. Assista aos vídeos:

E no final da música Human Nature, a tatuagem nas costas mudou e ao invés do habitual “No Fear”, estava escrito o nome da banda, Pussy Riot.

Nesta terça-feira, a Promotoria de Moscou pediu três anos de prisão para elas no tribunal Jamovnicheski de Moscou, segundo o promotor Alexandre Nikiforov. “O crime é grave e a Promotoria considera que sua correção só é possível em condições de isolamento da sociedade. A punição necessária deve ser uma verdadeira privação de sua liberdade”, disse ele no tribunal. Violeta Volkona, advogada de uma das acusadas, anunciou que recorrerá à Corte Europeia de Direitos Humanos para denunciar os maus tratos que, segundo ela, as jovens sofreram, como alimentação inadequada e humilhações.

Madonna desejou que “o tribunal demonstre clemência e que estas mulheres sejam libertadas em breve”, segundo a imprensa russa. O pedido levou alguns fiéis da Igreja Ortodoxa a pedir o cancelamento dos shows. Próximo das eleições de março, as três integrantes do grupo entraram na Catedral de Cristo Salvador com os rostos cobertos, guitarras e um equipamento de som e cantaram uma “oração punk” contra Putin, que disputava o terceiro mandato. Para alguns críticos, o julgamento faz parte de uma campanha mais ampla contra a crescente oposição a Putin, que voltou ao Kremlin no dia 7 de maio.

Pussy Riot agradece o apoio de Madonna no Twitter (@pussy_riot):

“Querida Madonna, nós te amamos e você pode estar mudando a história da Rússia à partir de agora. Muito obrigado e milhares de rezas em troca!”

Pussy-Riot agradece Madonna pelo apoio na Rússia no Twitter - MDNA Tour


MADONNA ENFRENTA GOVERNO RUSSO NOVAMENTE NESTA QUINTA

Nesta quinta-feira Madonna fará mais um show na Rússia, agora em São Petersburgo, na Rússia, e em seu site oficial, o Madonna.com, Madonna afirma que o show terá uma homenagem a comunidade LGBT.

“No show de quinta-feira, uma pulseira rosa será distribuída a todos que queiram apoiar a comunidade LGBT em São Petersburgo. A pulseira fará parte do show e esteja preparado para erguer seus braços em apoio!”

Chamando a legislação, que impõe multas para quem promover a homossexualidade entre menores, de “atrocidade ridícula” em sua página no Facebook, ela disse que iria resolver o problema durante o seu show. Se protestar, a cantora corre o risco de ser multada em 5 mil rublos (algo em torno de R$ 310 mil).

“Eu irei a São Petersburgo para falar pela comunidade gay, para apoiar a comunidade gay”, disse ela. Sua turnê russa começa em agosto, meses após a abertura de sua academia particular em Moscou, cujo nome vem do álbum dela de 2008, “Hard Candy”.

O homossexualismo, punido com penas de prisão na União Soviética, só foi descriminalizado na Rússia em 1993, mas grande parte da comunidade homossexual continua escondida já que o preconceito é forte.

A legislação foi assinada em março pelo prefeito de São Petersburgo e aliado de Putin, Georgy Poltavchenko.

A lei impõe uma multa de até 500.000 rublos (17.100 dólares) para quem espalhar o que a lei chama de “propaganda homossexual”, que poderia “prejudicar a saúde, desenvolvimento moral e espiritual do menor de idade”, definidos como menores de 18 anos.

A lei tem causado preocupações na comunidade gay, que teme que ela poderia ser usada para reprimir as raras demonstrações públicas na Rússia de homossexualidade, como as paradas gays.

Inúmeras tentativas de realizar protestos gays em Moscou, considerados ilegais pelas autoridades, acabaram em prisões e confrontos com vários cristãos ultra-ortodoxos que dizem que os homossexuais devem ser punidos ou tratados em hospitais por “doença”.

Em 2010, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos multou a Rússia por banir paradas homossexuais em Moscou, no que os ativistas dos direitos gays descreveram como uma vitória histórica.

Madonna provocou protestos de ativistas da Igreja Ortodoxa Russa em uma visita a Moscou em 2006, quando ela cantou Live to Tell em um crucifixo enquanto usava uma coroa de espinhos.

VÍDEOS IMPRENSA