Arquivo da tag: Cyndi Lauper

Madonna é eleita a 5º maior cantora de todos os tempos pela rede de TV ABC

madonna-mdna-santiago-chile

Madonna é eleita a 5º maior cantora de todos os tempos pela rede de TV ABC.

Antes de celebrar a chegada de 2014 com seu tradicional programa de Réveillon, que nesta edição teve a participação de Ariana Grande, Jennifer Hudson, Pitbull e Enrique Iglesias, a rede de televisão ABC divulgou uma lista com as 30 maiores cantoras da história.

Sem revelar quais foram os critérios para a elaboração da lista, a emissora norte-americana colocou Whitney Houston, Tina Turner e Aretha Franklin nas três mais altas colocações, com Beyoncé e Madonna logo atrás, na quarta e quinta posições, respectivamente.

Confira a lista completa:

1. Whitney Houston
2. Tina Turner
3. Aretha Franklin
4. Beyoncé
5. Madonna
6. Diana Ross
7. Annie Lennox
8. Mariah Carey
9. Taylor Swift
10. Blondie
11. Janet Jackson
12. Christina Aguilera
13. Dolly Parton
14. Rihanna
15. Alicia Keys
16. Donna Summer
17. Gladys Knight
18. P!nk
19. Cyndi Lauper
20. Katy Perry
21. Gloria Estefan
22. Adele
23. Cher
24. Shania Twain
25. Pat benatar
26. Lady Gaga
27. Chaka Khan
28. Celine Dion
29. Gwen Stefani
30. Karen Carpenter

Madonna é indicada ao 2014 compositores ao Hall Of Fame

songwriters_hof_2013-770x437Madonna e Jimmy Page e Robert Plant, do Led Zeppelin estão entre os compositores deste ano indicados ao Hall Of Fame, juntamente com o líder do Kinks, Ray Davis, John Mellencamp, Ann e Nancy Wilson do Heart And Nile Rodgers, segundo a agência de notícias Associated Press. Sade, Cyndi Lauper e Linda Perry também concorrem ao prêmio de 2014.

Outros indicados neste ano incluem Jim Weatherly e William “Mickey” Stevenson na categoria “compositor sem performance”, e Dan Penn e Spooner Oldham por “composição em dupla”. O compositor de “Always on My Mind” Mark James também está entre os indicados, com Don Robertson, Graham Gouldman e Tony Macaulay.

Os vencedores do ano passado incluem Steven Tyler e Joe Perry, do Aerosmith, assim como Mick Jones e Lou Gramm, do Foreigner.

Os eleitores têm até o dia 16 de dezembro para escolher dois indicados da lista de performers e três, da lista de non-performers. A escolha dos compositores do Hall Of Fame 2014 acontecerá em Nova York, no hotel Marriott Marquis, em 12 de junho.

“Claro, eu trabalharia em algo com minha prima má”, diz Cyndi lauper sobre Madonna

Em entrevista feita no fim do ano passado, Cyndi respondeu algumas perguntas enviadas por fãs, por parte do programa iReport do canal Americano CNN. A primeira pergunta foi sobre se algum dia ela trabalharia em algo ao lado de Madonna. “Claro, eu trabalharia em algo com minha prima má. Ela me chamou assim uma vez (Saturday Night Live, 1985), tão doce.”, bem humorada, expressou Cyndi, sobre a pergunta.

Logo em seguida, um fã perguntou se os Goonies continuavam “bons demais”, Cyn disse que sim e que eles sempre serão bons demais, como a música diz. “Eu estava sempre em bandas, antes de ninguém me conhecer. E claro, eu estava me divertindo.”, disse Lauper, em resposta à fã que lhe perguntou o que ela fazia, antes de se tornar a “garota que só queria se divertir”.

E por último, um fã lhe perguntou se ela havia gravado “True Colors” para o público GLBT. E a resposta foi: “True Colors chegou até mim, quando eu havia perdido Gregory, um dos meus melhores amigos. A letra e especialmente a melodia me encantaram devido a perda. E alguns anos depois, uma pessoa veio até mim com a bandeira do arco-íris e disse que a música havia lhe inspirado. Naquele momento, eu percebi que Gregory tinha este desejo.” Abaixo, você pode assistir o video da entrevista:

| Fonte: Cyndi Lauper Now |

Sabia que um dos maiores hinos de Madonna foi rejeitada por Cyndi Lauper?

A história por trás de OPEN YOUR HEART, de Madonna. “Open Your Heart” virou um dos hinos de Madonna, mas não era para ser dela. A música original chama-se “Follow Your Heart” e foi escrita por Gardner Cole e Peter Rafelson para a cantora Cyndi Lauper, que nunca chegou a gravá-la. O grupo The Temptations também foram considerados para cantar “Follow Your Heart”. Mas a “Rainha do Pop” ouviu a melodia e fez apenas alguns ajustes na letra da canção. “Open Your Heart” foi lançada no disco “True Blue”, de 1986, e atingiu o topo das paradas de sucesso.

Provavelmente, Cyndi Lauper se arrepende amargamente disso. “Open Your Heart” foi #1 na Billboard e #4 no Eurochart Hot 100.

Cyndi Lauper fala de sua inspiração em Madonna

Rolling Stone: Você sentiu um parentesco com outros músicos do sexo feminino que começaram com você nos anos 80?

Cyndi Lauper: Bem, eu tive a minha alter-imagem, Madonna [risos]. Não importa o que eu fiz, lá estava ela, e não importa o que ela fez, lá estava eu​​. E não foi similar, e nunca foi intencional. Nós nos inspiramos. Eu sou inspirado por ela, porque ela ainda faz isso, e ela parece ótimo, e estou sempre em uma dieta, nunca consigo manter uma dieta, mas ela sempre está linda, ela sempre faz, então isso é inspirador.

Rolling Stone: Você acha o fato dela estar fazendo pop como você ajudou em sua carreira?

Cyndi Lauper: Não, nos anos oitenta eu estava realmente com problemas pessoais e a imprensa sempre nos rivalizou. Eu sempre acreditei que a irmandade é uma coisa poderosa, e eu só queria ter um amigo na indústria. Outro roqueiro. Mas eles sempre isolam você quando você se torna popular, quando você se torna famoso, e então você está isolado, de repente. Ninguém pode chegar até você, porque eu acho que todo mundo quer chegar até você.

Celebridades rasgam elogios a Madonna

O canal franco-alemão ARTE apresentou este mês um documentário sobre Madonna, que faz parte da série “Queens of Pop”, produzido por Jürgen Schindler.

O filme com duração de trinta minutos contém entrevistas com grandes nomes como Robyn, Donna Summer, Cyndi Lauper, Stuart Price e muitos outros. Veja abaixo trechos:

Robyn: “Ela fez algumas das melhores músicas que eu conheço. Eu acho que fui atraída primeiramente pela sua música e mais tarde quando vi seus vídeos fiquei encantada. Ela praticamente exige que você continue olhando para ela em seus vídeos, ela está muito envolvida em seu próprio mundo quando se trata disso. Acho que ela fez coisas importantíssimas para a liberação da mulher. Isso eu acho inspirador, ela não pede sua aceitação.”

Kate Nash: “Ela passou por diferentes gerações, em épocas totalmente diferentes.
Eu sempre acho muito interessante quando um artista permanece relevante para cada década. Madonna é realmente poderosa.”

Diane Warren (compositor americano): “Ela é ótima. Sua ética no trabalho é excelente. Eu a respeito tanto. Mas, o melhor é que você sempre se pergunta ‘qual vai ser a próxima sacada de Madonna?’. Isso é fantástico!”

Marina (& the Diamonds): “Seu papel pra mim foi de alguém que foi uma verdadeira pioneira para a sexualidade feminina e para o feminismo. Madonna não liga para o que
as pessoas pensam, ela acredita em si mesma. Ela faz o que ela acredita que deve ser feito.“

Debbie Harry: “Basicamente, ela fez o que eu estava fazendo, só que melhor, de modo que isso foi um pouco frustrante pra mim. Ela se tornou um grande sucesso!”

Cyndi Lauper: “Eu me senti meio culpada por ela não ter ganho o American Music Award, porque achei que ela ganharia um também. Eu a conheci depois da premiação, ela concorreu com ‘Like a virgin’, que era uma música ótima… Eu disse isso a ela.”

Donna Summer: “Madonna é um bom exemplo de alguém que não para de crescer. Problema seu se você concorda com ela ou não, se você gosta dela ou não, não importa,
ela sempre vai ser a mesma e continuar tentando coisas diferentes em seu trabalho. Madonna nunca estará presa a uma coisa só. Ela é contínua.”

Stuart Price: “É da natureza de Madonna ser provocativa. Ela é uma mulher realmente inteligente, provavelmente uma das mais inteligentes que eu já conheci.  Acho que o mecanismo de sobrevivência dentro dela é tão forte que provavelmente está relacionado com parte de seu crescimento e o fato de ter perdido sua mãe quando jovem, deixando sua cidade e fazendo tudo acontecer.  É difícil não perceber como ela mudou a nossa percepção para várias coisas diferentes.  Seja para mulheres em geral, seja para instituições de caridade ou seja para o que pode ser feito dentro da cultura… Se você olhar para tudo isso, você vai ter que admitir: Madonna é um modelo. O interessante pra mim não é sua fama, e sim a sua personalidade. Ela é como uma faísca brilhante de criatividade, ela é divertida e também determinada.  Se você olhar para a música pop, turnês, vídeos e cultura dos últimos 25 anos vai ver que Madonna está no centro de tudo isso, e ainda continua colocando tudo isso para frente. É por isso que ela é a Rainha do Pop, mas… já tem um monte de outras princesas.”

Top 75 Singles da semana

As faixas mais tocadas na semana encerrada em Domingo 7 de setembro de 2008

Madonna libera pela 5º semana, não concecutiva, o meu Top 75 Singles mais ouvidos na semana com “Give It 2 Me”, que, subindo do segundo para a primeira posição com 33 spins, acumula um total de 357 pontos, sendo a sexta música mais ouvida dos últimos seis meses. O primeiro single do álbum “Hard Candy”, “4 Minutes”, emplaca sua 27º semana no Top 10, acumulando até o momento, 894 execuções, quase o dobro do segundo Hit de 2008, “Abrazame”, de Wanessa Camargo, que já soma 475 plays, e que despencou do #10 para o #63 com 6 spins.

Alicia Keys subiu 29 posições com o novo single “Superwoman”, do 31º para o segundo lugar, enquanto que Sheryl Crow subiu do 9º para a quarta posição com “Out Of Our Heads”. O single, que chegou ao primeiro lugar em sua quarta semana e acumula um total de 141 pontos, é o terceiro extraído do álbum “Detous”. A maior estréia da semana ficou para o novo single de Anastacia, “I Can Feel You”, no 15º lugar, enquanto que P!nk debuta no Top 20 com “So What”.

1 | 2 Madonna – Give It 2 Me 33 (10-9-1-1-1-2-2-2-1-3-5-4-2-8-2-1)
2 | 31 Alicia Keys – Superwoman 28 (31-2)
3 | 15 Madonna Feat. Justin Timberlake – 4 Minutes 27 (2-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-2-2-4-5-10-17-9-6-5-4-4-2-15-3)
4 | 9 Sheryl Crow – Out Of Our Heads 26 (3-2-2-1-15-9-4)
5 | 7 Cyndi Lauper – Into the Night Life 23 (11-19-16-10-10-6-7-4-12-7-5)
6 | 23 Jesse McCartney – Leavin’ 22 (22-20-15-15-10-10-10-10-6-6-4-2-4-7-7-8-9-13-23-6)
7 | 13 Thalía – Ten Paciencia 22 (5-5-6-8-10-8-9-11-19-13-7)
8 | 1 Melanie C – Understand 21 (3-1-1-1-1-8)
9 | 3 Mariah Carey – Bye Bye 21 (44-40-31-34-36-/-20-9-8-2-2-1-5-6-4-6-8-11-3-9)
10 | 25 Alanis Morissette – Underneath 21 (33-33-31-20-10-5-6-3-8-17-25-10)

11 | 18 Amy Macdonald – Poison Prince 21 (10-5-1-2-1-3-4-6-6-6-7-5-10-11-10-10-9-18-11)
12 | 6 Sarah Brightman – Fleurs Du Mal 20 (22-20-10-4-4-5-10-10-13-10-6-12)
13 | 22 Eros Ramazzotti – Ci parliamo da grandi 19 (45-44-20-19-14-11-11-4-5-3-6-9-21-22-13)
14 | 8 Britney Spears – Break The Ice 19 (46-32-30-23-23-21-19-11-11-13-16-8-7-22-8-14)
15 | NEW Anastacia – I Can Feel You 19
16 | 26 Kylie Minogue – The One 19 (40-31-18-26-16)
17 | 14 Amy Macdonald – This Is the Life 18 (33-27-14-17)
18 | NEW P!nk – So What 18
19 | 16 Darren Hayes – Casey 17 (5-3-1-1-1-2-2-2-1-2-3-16-19)
20 | 11 Alicia Keys – Teenage Love Affair 17 (33-30-23-25-11-10-17-15-15-25-11-20)

21 | — Mary J. Blige – Stay Down 16
22 | 12 Britney Spears – Radar 16 (44-40-49-10-7-12-22)
23 | 46 Katy Perry – I Kissed a Girl 15 (55-34-10-10-13-17-29-23)
24 | 20 Rihanna – Disturbia 15 (15-11-6-20-24)
25 | 4 Mariah Carey – I’ll Be Lovin’ U Long Time 15 (20-11-11-7-5-4-25)
26 | 35 Nelly Furtado ft Keith Urban – In God´s Hands 14 (30-20-11-12-14-16-15-18-20-56-35-26)
27 | 40 Colbie Caillat – Realize 14 (40-33-26-30-40-27)
28 | — Adele – Hometown Glory 14
29 | — Jordin Sparks ft Chris Brown – No Air 14
30 | 29 Sam Sparro – Black & Gold 14 (55-20-11-12-14-13-16-22-22-22-23-24-24-24-21-29-30)

31 | 36 Céline Dion – Alone 14 (20-22-20-14-16-11-13-10-9-8-6-8-10-14-16-15-18-19-19-19-25-36-31)
32 | 47 Kylie Minogue – In My Arms 13 (6-10-10-5-5-5-3-2-2-3-2-4-6-4-8-9-11-27-41-47-32)
33 | — Nelly Furtado e Diego Ferrero – All good things 13
34 | 49 Sara Bareilles – Love Song 13 (49-34)
35 | — KT Tunstall – Saving My Face 13
36 | 53 Sheryl Crow – Now That You´re Gone 13 (30-10-3-4-9-10-10-18-25-29-34-46-53-36)
37 | — Sugababes – Change 13
38 | 67 Pussycat Dolls – When I Grow Up 13 (58-58-45-56-67-38)
39 | 34 Estelle feat Kanye West – American Boy 13 (6-6-5-6-5-7-8-9-10-11-15-17-15-19-17-27-34-55-39)
40 | 48 Michael Bublé – Lost 13 (24-45-35-42-20-20-15-17-11-11-6-7-5-5-6-12-17-11-24-26-29-37-48-40)

41 | — OneRepublic – Stop and Stare 13
42 | 41 Fergie – Labels Or Love 13 (45-44-35-45-34-34-35-/-/-/-41-42)
43 | 72 The B-52’s – Funplex 12 (34-7-7-5-9-8-12-15-15-25-27-40-51-72-43)
44 | NEW Vanessa Hudgens – Sneakernight 12
45 | — McFly – One for the Radio 12
46 | 39 Avril Lavigne – The Best Damn Thing 12 (44-50-34-45-45-46-44-43-45-28-39-46)
47 | NEW Duffy – Stepping Stone 12
48 | 70 Sam Sparro – 21st Century Life 12 (75-60-68-65-70-48)
49 | NEW Flo Rida feat. Will.I.Am & Fergie – In The Ayer 12
50 | NEW Solange – I Decided 12

51 | NEW Miley Cyrus – 7 Things 12
52 | 50 Robyn – Who’s That Girl 12
53 | NEW Carrie Underwood – Just A Dream 12
54 | NEW The Script – The Man That Cant Be Moved 12
55 | NEW Chris Brown – Forever 12
56 | NEW James Morrison – You Make It Real 12

57 | 38 Westlife – Us Against The World 12 (21-10-3-4-5-4-7-12-16-17-34-30-30-30-34-36-31-34-39-38-57)
58 | 44 Scouting for Girls – Heartbeat 12 (66-56-57-67-56-44-58)
59 | NEW Alphabeat – Boyfriend 11
60 | 27 Maroon 5 feat. Rihanna – If I Never See Your Face Again 11 (33-30-21-10-11-14-10-13-10-9-9-9-10-16-27-60)

61 | 33 Gabriella Cilmi – Save The Lies 8 (33-61)
62 | 24 Enrique Iglesias – Can You Hear Me 7 (20-14-24-62)
63 | 10 Camila Feat. Wanessa Camargo – Abrázame 6 (3-2-2-1-1-1-2-2-2-2-2-2-3-4-5-5-5-5-4-10-63)
64 | 21 Backstreet Boys – Treat Me Right 5 (20-21-64)
65 | 56 David Archuleta – Crush 5 (45-56-65)
66 | 19 Estelle – No Substitute Love 5 (44-38-19-66)
67 | NEW Sugababes – Girls 5
68 | 40 Cyndi Lauper – Same Ol’ Story 4 (10-11-12-14-9-9-5-2-2-2-4-5-7-8-19-33-35-36-/-/-/40-68)
69 | 30 Coldplay – Viva La Vida 4 (30-69)
70 | 17 Donna Summer – Stamp Your Feet 4 (33-30-20-24-17-70)
71 | 5 Josh Groban – Awake 4 (11-11-6-11-14-15-18-40-5-71)
72 | 61 David Cook – The Time Of My Life 3
73 | 30 Seal – Amazing 3 (44-44-32-45-32-11-9-10-19-19-35-44-56-30-73)
74 | 44 Sheryl Crow – Love Is Free 3 (5-5-5-3-3-5-6-7-4-2-7-7-7-8-9-11-11-16-20-27-32-32-45-39-44-74)
75 | — Coldplay – Violent Hill 3

Let´s talk about Cyndi Lauper

Sabe que o novo álbum da Cyndi Lauper veio com o adesivo com o nome da cantora escrito errado né? Uma falta de cuidado e desrrespeito com uma cantora tão cool como Cyndi Lauper.

Upload Imagens

A sensação da música pop de uma geração atrás, Cyndi Lauper, com cabelo de ovo de Páscoa e vestida de forma ultrajante em rede de pesca, adereços e padrão de bolinhas, conquistou um prêmio Grammy em 1985 como melhor novo artista. E quem podia argumentar? Seu álbum de estréia, “She’s So Unusual” (1984), se tornou o primeiro a lançar cinco singles top 10, incluindo “Girls Just Want to Have Fun”, “Time After Time” e “She Bop”, canções que se tornaram hinos virtuais da geração MTV original.

Isso foi há muito tempo. Agora com 54 anos, Lauper está casada com o ator David Thornton há 16 anos e é mãe de um menino de 10 anos, Declan. Apesar de ainda manter o jeito de menina e longe de estar subjugada, ela deixou de pintar o cabelo de rosa, azul ou amarelo gema de ovo. Agora, a cantora é, grande parte do tempo, simplesmente loira -o que ela considera “tedioso”- e abandonou as roupas extravagantes, que não combinavam, de seu auge.

“Eu me pareço normal para que meu filho não seja provocado na escola, sabe como é?” ela diz com sua voz aguda, de Betty Boop, e com forte sotaque nova-iorquino, durante uma entrevista por telefone de sua cozinha em Manhattan. “Se eu parecesse a mesma, apenas mais velha, eu seria um bocado assustadora, não seria? Mas minha aparência não é de alguém que vai ao escritório!”

Ela pode parecer mais “normal”, mas em meio a um jantar de peixe da dieta da zona, aquecido em seu forno-torradeira, Lauper -que já vendeu mais de 25 milhões de discos – é alternadamente engraçada e profunda, com linguagem afiada temperando a conversa. Ela está longe de ser tediosa. “Você precisa ser quem você é. Todos sempre quiseram me mudar, mas quem mais eu seria? Lana Turner em ‘Madame X’ (1966)? Joan Crawford em ‘Alma em Suplício’ (1945)? Oh, aquela cena com Veda na escadaria! Oh, meu Deus! Qualé!”

Em 31 de maio, Lauper deu início ao segundo ano de sua turnê “True Colors” por 25 cidades, um empreendimento conjunto com a Human Rights Campaign visando tanto entreter quanto aumentar a conscientização sobre os direitos dos gays.

O novo álbum de Lauper, “Bring Ya to the Brink”, é uma coleção dançante de novas canções que ela compôs e produziu em parceria com pesos pesados da cena club internacional. Ele soa bastante como ela: após atingir um obstáculo na sua carreira nos anos 80, Lauper já está há mais de uma década de volta à voga. “Eu me lembrei da minha voz. Eu percebi por que cheguei aqui em primeiro lugar. Se tratava de ter trabalho rico e de ser verdadeira. Porque quando você carrega seu traseiro até o topo da montanha, é melhor ter algo bom para dizer, não é?”

E ela não se limitou a dizer nos álbuns: em 2006, Lauper fez sua estréia na Broadway como Jenny, em uma remontagem do clássico de Weill/Brecht, “A Ópera dos Três Vinténs”. Uma ganhadora do Emmy em 1995 por um papel recorrente em “Mad About You” (1993-1999), a cantora também apareceu nos filmes “Os Oportunistas” (2000) e “Romance e Cigarros” (2005).

A turnê “True Colors”, que visa o empoderamento da comunidade gay, foi idéia de Lauper. Além dela, o lineup rotativo inclui Joan Armatrading, B-52s, Indigo Girls, Joan Jett e as humoristas Kate Clinton, Rosie O’Donnell e Wanda Sykes. “Eu sou amiga e família da comunidade”, diz Lauper, cuja irmã mais velha é lésbica. “É muito importante para mim. Eu sempre fui altamente ciente de que qualquer um que é diferente sofre discriminação. As leis são realmente uma confusão. Quem diabos morreu e deixou todos no controle de nossos quartos?”

Na sua juventude, Lauper suspeitou que ela mesma fosse lésbica, como era a maioria de suas amigas de infância. Ela tentou “dar as mãos e beijar” sua melhor amiga, mas ela não sentiu nada. “Eu agi tipo, ‘Não é para mim… mas eu te amo'”, ela recorda. “Eu percebi que não era gay… e realmente me senti mal, porque queria me enquadrar.”

Lauper nasceu cantando, como ela coloca, em Astoria, Queens, mas passou seus primeiros quatro anos no Brooklyn. Então a família -mais disfuncional do que a maioria, como ela descreve- se mudou para Ozone Park, de volta ao Queens.

Ela sempre quis se tornar cantora profissional, mas todos a desencorajavam de correr o risco. Em vez disso, após abandonar o colégio, Lauper, que posteriormente foi diagnosticada como disléxica, trabalhou em uma série de empregos, como cuidar dos cavalos no hipódromo em Belmont Park -“Eu cantava canções de George Harrison para acalmar os cavalos”- secretária e garçonete de restaurante.

“Eu fracassei em tudo. Eu fui uma garçonete terrível. No escritório eu era uma ‘garota Sexta-Feira 13’. Eu costumava sonhar acordada sobre os arquivos. Sempre tinha alguém gritando comigo no telefone e tendo um ataque cardíaco. E eu dizia: ‘Calma aí, amigo!'”

Era hora de tentar o show business. “Depois que você fracassa em tudo, você não tem nada a perder.” Lauper e aquela melhor amiga citada antes formaram uma dupla folk, e fizeram sua primeira apresentação em um festival folk no velho Gaslight Club, em Manhattan. Em seguida a dupla foi contratada por um café em Rego Park, Queens, que não tinha microfone.

“O sujeito me disse: ‘Escuta, menina, nós temos telhas acústicas. Basta você apontar sua voz lá para cima!'” Elas foram demitidas, ela acrescenta, quando seus amigos na platéia importunaram os humoristas do programa.

“Aquele sujeito nunca nos pagou. Aquele rato!” Curiosamente, em grande parte do tempo a voz de canto de Lauper pouco se assemelha ao seu sotaque nova-iorquino característico.

“Graças a Deus! Dá para imaginar? Eu não tenho idéia do motivo. Quando canto, eu simplesmente entro em transe.” Mas seu marido não é do bairro: ele não apenas nasceu no Colorado, mas também é filho de um professor de inglês de Harvard. Ele é conhecido por provocar Lauper por causa de seu sotaque e sua gramática fora do padrão. “Ás vezes eu falo errado. David ri, mas ele se preocupa que Declan faça o mesmo.”

Seus lapsos lingüísticos sem dúvida faziam estremecer seu falecido sogro, Robert Donald Thornton, uma autoridade internacional no poeta escocês Robert Burns. “Quando David e eu nos casamos”, ela lembra rindo, “eu disse: ‘Pai, não fique triste. Você não está perdendo um filho – você está ganhando alguém que não fala muito bem!”

Mas nem tudo foi motivo de risada para Lauper. Cinco anos após seu estouro, com as vendas de seu álbum despencando e os ingressos de shows não vendendo, ela parecia estar à beira de desaparecer, a novidade que esgotou seus 15 minutos de fama. Foi necessária uma década de trabalho árduo para reconstruir sua carreira.

“Foi uma época difícil para mim. Eu precisei dar um tempo. A Sony (sua gravadora naquela época e agora) não era a mesma que costumava ser. De repente, não eram mais os meus termos. Eu não queria a roda de hamster. Eu vi mudança no rádio. Eu estava tentando agradar a todos, e a única pessoa que devia estar agradando era a mim mesma.” “Eu devia ter dito, ‘Chega!’ Mas eu não sabia como.”

De lá para cá ela descobriu, e agora a maternidade a inspira a ampliar seu foco, para incluir os direitos dos gays e outras causas pelas quais se importa.

“Em que tipo de mundo meu filho vai crescer? O mesmo velho de sempre? As pessoas precisam descer de seus cavalos altos e começar a ajudar aqueles que estão por baixo.”

(Jane Wollman Rusoff é uma jornalista free-lance baseada em Los Angeles.)
Tradução: George El Khouri Andolfato